Pesquisa

Estudo revela que porcos usam ferramentas para realizar atividades cotidianas

De acordo com uma análise recente os porcos podem ser mais inteligentes do que se imaginava anteriormente

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

De acordo com um estudo publicado na revista Mammalian Biology, os porcos visayanos – uma espécie ameaçada de extinção, nativa das ilhas Visayan nas Filipinas – foram vistos recentemente usando ferramentas para cavar um ninho.

Priscila, a porca – que vive em um zoológico parisiense – usou cascas de árvore para cavar e construir seu ninho, segundo os pesquisadores.

A ecologista e conservacionista Meredith Root-Bernstein – que foi co-autora do estudo – descobriu acidentalmente Priscilla fazendo uso de suas habilidades de escavação. Ela escreveu em suas observações: “Priscilla depositava algumas folhas, as movia para um local diferente no monte e cavava um pouco com o nariz”.

“A certa altura, ela pegou uma casca plana de cerca de 10 cm x 40 cm que estava no monte e, segurando-a na boca, usou-a para cavar, levantando e empurrando a terra do solo para trás, com muita energia e rapidez”, ela continuou.

Root-Bernstein voltou a ver Priscilla em várias ocasiões, junto com uma equipe de pesquisadores. Eles também viram o companheiro de Priscilla, Billie, cavando com um graveto, embora ele não fosse tão habilidoso como Priscilla.

Segundo o estudo, os porcos pareciam usar os gravetos simplesmente porque gostavam de usá-los, pois cavar com os cascos seria mais eficiente.

Root-Bernstein disse à CNN: “Podemos pensar que apenas os seres humanos manipulam o meio ambiente para afetar suas próprias vidas, mas de maneiras diferentes, muitas outras espécies também fazem isso”.

Inteligência dos porcos

Atualmente, cerca de 200 porcos visayanos são mantidos em cativeiro. Organização sem fins lucrativos de conservação filipina, Fundação Talarak, está trabalhando para proteger as espécies e ajudá-las a florescer na natureza.

O presidente da Fundação Talarak, Fernando “Dino” Gutierrez, uma vez testemunhou porcos selvagens empurrando uma pedra em direção a uma cerca elétrica para testá-la.

“Assim que eles empurram e as rochas fazem contato com a cerca, eles então esperam o som do clique ou a ausência dele”, disse ele à National Geographic. “O clic significa que os fios estão quentes e eles se afastam e não cruzam a cerca. Sem sons significa que é seguro investigar o que está além do fio”.

Os porcos gostam de brincar também

Um leitãozinho chamado Baby Mango caiu de um caminhão em Ottawa, no Canadá, no início deste ano. Após a cirurgia, ele se mudou para um santuário vegano chamado “No Meat and Greet”. Apesar dos ferimentos, ele gosta de correr e brincar.

A Dra. Lara Elizabeth Cohen – a veterinária que organizou sua cirurgia – disse ao jornal Ottawa Citizen: “É difícil mantê-lo preso porque ele gosta dos brinquedos do meu cachorro e ele também tomou a cama do cachorro”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui