Avanço

Matança de cães para consumo chega ao fim em Seul

A decisão é resultado do trabalho intenso de conscientização, iniciado há 4 anos por ativistas pelos direitos animais e Ongs, junto ao governo e à população local para acabar com o comércio de carne de cachorro

Foto: World Dog Alliance
Foto: World Dog Alliance

Esta semana, as três últimas lojas de vendas de carne de cachorro em Seul, na Coreia do Sul, assumiram o compromisso de não mais matar cães na cidade. Embora essas lojas tenham desativado seus matadouros locais, elas ainda podem vender carne de cachorros mortos em outras partes do país. Mesmo assim, é uma grande vitória o fechamento dos matadouros de Seul.

A medida ocorre após uma campanha de um ano do prefeito de Seul, Park Won-soon, e do governo metropolitano de Seul para encerrar a prática e foi muito bem recebida pelo grupo de direitos animais Humane Society International (HSI) Coreia. A ONG trabalha na Coreia do Sul desde 2015 para acabar com o comércio de carne de cachorro.

“Estou muito feliz por ver as últimas lojas de carne de cachorro restantes de Seul terminarem com a matança de cães. Embora essas lojas ainda possam vender carne de cachorro [mortos em outras regiões], é maravilhoso ver a Coreia do Sul dar um passo adiante nesta indústria agonizante com a qual a maioria dos coreanos não quer nada”, disse Nara Kim, gerente de campanha de carne de cachorro da HSI Korea.

“Isso me dá esperança de que o futuro da Coreia do Sul seja totalmente livre de carne de cachorro. A HSI Coreia continuará trabalhando com o governo e apoiando os fazendeiros que não querem mais trabalhar no comércio de carne de cachorro, para que um dia possamos celebrar o fechamento do matadouro final de cães da Coreia do Sul”.

Com a ajuda da HSI Coreia, o mercado de carne de cachorro Gupo – um dos maiores mercados desse gênero da Coreia do Sul que fica em Busan – fechou suas 19 barracas em julho e está atualmente sendo transformado em um parque público.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui