Wombat é apedrejado até a morte por policial

O animal assustado tenta fugir mas o policial e seu parceiro o perseguem de carro e depois a pé, acertando pedras em sua cabeça até que o marsupial não resiste e morre


 

Foto: Facebook
Foto: Facebook

Um vídeo recentemente compartilhado nas redes sociais flagra um policial e seu comparsa apedrejando um wombat (espécie de marsupial endêmica australiana) até a morte no Sul da Austrália.

A cena cruel de passou na península de Eyre, as imagens mostram o oficial que estava de folga, Waylon Johncock, estimulado por seu parceiro que dirigia o carro, a atirar pedras repetidamente no animal indefeso até mata-lo.

Um grupo de defesa e proteção de animais selvagens local, Wombat Awareness Organisation compartilhou o vídeo em seu Facebook e iniciou uma petição on line com o objetivo de levar o caso a processo judicial e conseguir a punição dos agressores

A entidade afirma que ataques aos animais selvagens são comuns na área.

Cuidado, imagens fortes:

No vídeo os dois homens são vistos perseguindo o marsupial de carro, até que em um determinado um deles, o policial, desce e começa a se aproximar do animal estimulado pelo outro que diria o carro: “Vai lá, pega ele, chega mais perto, acerta ele, mata ele”.

O policial então começa a jogar pedras no animal e quando ele cai desacordado ele ergue os braços em comemoração enquanto o outro diz: “Você matou ele!”.

Responsabilidade

As imagens foram compartilhadas online na quarta-feira à noite pela ONG em sua rede social, o grupo escreveu: “Estamos cansados de denunciar tanta crueldade para que ela seja ignorada. Se mais pessoas apoiarem nossa iniciativa, então algo poderá ser feito”.

O grupo escreveu: “Estou cansado de denunciar tanta crueldade para que ela seja ignorada. Se isso obtiver seu apoio, algo poderá ser feito”.

Brigitte Stevens, representante da organização, disse ao Seven que o wombat não morreu imediatamente e foi deixado ali sofrendo.

O vídeo foi compartilhado mais de 400 vezes e foi amplamente divulgado na Austrália.

Um espectador chocado escreveu: “Estou tão assombrado ao ver isso, penso que algumas pessoas estão seriamente confusas neste mundo, mas, para ser alguém que tem a responsabilidade de ser um modelo na comunidade, esse comportamento fica ainda mais terrível!”.

A polícia da Austrália disse que estava ciente do vídeo e está investigando o incidente.

A ONG criou uma petição para levar o policial à justiça sob a Lei de Bem-Estar Animal do país.

Eles disseram: “O vídeo da noite passada do apedrejamento até a morte é permitido pela Lei do Título Nativo, aceito como caça tradicional. Todos os animais devem estar sob a proteção da Lei de Bem-Estar Animal. Por favor assine e compartilhe nossa petição para que o autor desse crime seja processado”.

Papel na sociedade

Mais de 17 mil pessoas assinaram a petição até o momento.

Johncock está na Força Policial do sul da Austrália há 10 anos trabalhando como um dos oficiais da coalizão da comunidade no estado, informa o Daily Mail Australia.

Como policial suas tarefas eram ajudar a preencher a lacuna entre as diferenças sociais e culturais entre oficiais não indígenas e povos aborígenes: “Há uma enorme lacuna entre a língua inglesa e pitjantjatjara. Como tenho uma compreensão básica da língua nativa pitjantjatjara, posso ajudar na comunicação entre os povos”.

Um porta-voz da polícia disse ao news.com.au: “A polícia da Austrália está ciente de um vídeo de mídia social que descreve um incidente envolvendo um homem que causa ferimentos em um wombat.

“No momento, a corregedoria pode confirmar que está levando a situação muito a sério e está examinando atentamente o vídeo. Está sendo realizado um inquérito para identificar primeiro formalmente o homem e, em seguida, tomar as medidas apropriadas conforme necessário”, concluiu o representante da polícia.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui