DESSERVIÇO

Projeto de lei a favor de “rodeio crioulo” avança na Câmara

"Entende-se por rodeio crioulo o evento que envolve animais nas atividades de montaria, provas de laço, vaqueada, gineteada, pealo, chasque, cura de terneiro, provas de rédea..."

Proposta recebeu ontem (9) parecer favorável do deputado Neri Geller (PP-MT), relator do PL na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania | Pixabay
Proposta recebeu ontem (9) parecer favorável do deputado Neri Geller (PP-MT), relator do PL na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania | Pixabay

Mais uma proposta legislativa em defesa dos rodeios avança na Câmara dos Deputados. De autoria do deputado Giovani Cherini (PDT-RS), o Projeto de Lei 213/2015, que qualifica o “rodeio crioulo” como “atividade da cultura popular”, recebeu ontem (9) parecer favorável do deputado Neri Geller (PP-MT), relator do PL na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

“Entende-se por rodeio crioulo o evento que envolve animais nas atividades de montaria, provas de laço, vaqueada, gineteada, pealo, chasque, cura de terneiro, provas de rédeas e outras provas típicas nas quais são avaliadas as habilidades do homem e o desempenho do animal”, informa Cherini na matéria do projeto de lei.

Em defesa da aprovação do PL, o deputado considera principalmente os benefícios econômicos da atividade. “Se considerarmos a movimentação econômica envolvendo apresentações artísticas, logística, animais, comércio, vestuário, organização, turismo, entre outros, os diversos Rodeios que acontecem no Brasil, especialmente nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul do país, veremos que os números são extraordinários”, justifica.

E acrescenta: “Devemos dizer sim aos rodeios, garantindo a integridade física dos seus atores, peões, público e animais. Mais do que um evento, é uma festa cultural centenária que é saudada e cantada na voz de grandes artistas brasileiros.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui