Variação térmica

Mudança de temperatura mata cerca de 2,7 mil ovelhas no Rio Grande do Sul

Uma mudança brusca de temperatura matou cerca de 2,7 mil ovelhas nas cidades de Alegrete, Quaraí e Uruguaiana, no Rio Grande do Sul.

Rafael de Castro Santos / Arquivo pessoal

As mortes foram registradas entre o último final de semana e a segunda-feira (14). Alegrete, por exemplo, registrou máxima de 33,7ºC e mínima de 22ºC no domingo (13), segundo a Somar Meteorologia. Já na segunda-feira (14), a temperatura variou entre 23,2ºC e 11,3ºC. As informações são do jornal GaúchaZH.

Técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul visitaram as propriedades rurais nas quais as mortes foram registradas e afirmaram que os animais morreram devido à variação térmica e ao frio.

Até o momento, foram registradas 1,2 mil mortes em Alegrete, mil em Quaraí e 500 em Uruguaiana. Os números, porém, podem aumentar.

O diretor de Defesa Agropecuária da Secretaria do Estado, Antonio Carlos Ferreira Neto, explicou que o choque térmico em ovelhas gera problemas respiratórios e pode levar os animais à morte – o que pode acontecer dentro de algumas horas ou de um dia para o outro.

De acordo com Neto, não é a primeira vez que a situação é registrada, já que em anos anteriores ovelhas já foram encontradas mortas devido à mudança de temperatura.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui