De volta às origens

Filhote de lontra órfão aprende a nadar e caçar com voluntários e é devolvido a natureza

A lontra do sexo masculino chamada de Lázaro pratica seis horas por dia com seu cuidador e embora ainda temeroso, o animal já aprendeu os comportamentos básicos para sua sobrevivência

Lázaro treinando com seu cuidador | Foto: Owl Rescue Center
Lázaro treinando com seu cuidador | Foto: Owl Rescue Center

Uma lontra filhote que nunca havia se aventurado na água precisou aprender a nadar e foi ensinada pelos voluntários que a resgataram.

Lázaro nunca pegou sua própria comida ou mesmo enfiou a cabeça na água, apesar de já ter três anos de idade.

Após três semanas de treinamento, a lontra-africana-sem-garras (Aonyx capensis) agora já consegue nadar duas milhas e meia.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Levou horas de persuasão antes que o animal submergisse no rio que fica no Santuário de Pássaros de Hartbeespoort, relata o The Sunday Times.

Mas Lázaro não está sozinho nessa tarefa, um dos voluntários do centro, Brendan Murray, passa seis horas por dia incentivando e ajudando o animal.

Lázaro | Foto: Foto: Owl Rescue Center
Lázaro | Foto: Foto: Owl Rescue Center

A lontra do sexo masculino, tem 7 kg e está e sendo treinada para se tornar uma caçadora eficiente de peixes, caranguejos e mexilhões no rio Crocodile da África do Sul.

Mesmo quando não há predadores na água, Lázaro “se gruda” aos locais próximos mais rasos para garantir que ele possa tocar com as patas o leito do rio.

Murray diz que Lázaro ainda tem medo das águas mais profundas, mas domina a arte de pregar caranguejos e mexilhões. No entanto, ele terá que mergulhar mais fundo se quiser pescar, explicou o voluntário.

Lázaro mudou-se para o Owl Rescue Center no mês passado, depois de passar seus primeiros anos em um santuário sem água em ambiente aberto.

Ele foi abandonado quando filhote e nunca teve a oportunidade de dominar a arte da natação até agora.

Lontras-africanas-sem-garras passam 18 meses com suas mães em estado selvagem, aprendendo a cuidar de si mesmas.

Os animais são capazes de serem tanto noturnos quanto diurnos. Eles caçam em água doce ou água do mar nas costas e pântanos de toda a África.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui