Cientistas russos criam o primeiro bolo de carne feito de células cultivadas em laboratório

Redação
October 16, 2019

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A carne limpa é criada através do cultivo in vitro de células animais. Os cientistas obtêm uma pequena amostra de célula – neste caso de uma vaca da raça Aberdeen Angus – e colocam a amostra em um cultivador controlado com uma solução rica em nutrientes chamada “meio de crescimento”. Isso faz com que as células-tronco se multipliquem como se ainda estivessem no corpo do animal.

O resultado é um produto que oferece a mesma aparência, textura e sabor da carne convencional. No entanto, o processo pode ser concluído sem prejudicar nenhum animal.

“A carne in vitro, também conhecida como carne cultivada, é uma nova direção muito promissora para a indústria de carne”, diz Nikolai Shimanovsky, curador do projeto e farmacologista molecular.

“Do nosso ponto de vista, a produção de carne de laboratório tem o mais alto significado ético para a sociedade moderna”, acrescenta Shimanovsky. “É uma forma de evitar a morte de seres vivos para obter carne como alimento”.

Consumidores abandonam a carne tradicional

O consumo de carne da Europa diminuiu 20% no espaço de dois a três meses. Essa tendência pode ser testemunhada em outras partes do mundo. Mais de 80% dos americanos indicaram que gostariam de trocar carne por alternativas livres de crueldade.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Uma pesquisa realizada pelo produtor de carne desenvolvida em laboratório Memphis Meats, descobriu que 60% dos consumidores experimentariam carne limpa se fosse mais acessível. Carnes limpas são caras de se fabricar, no entanto, os produtores desejam reduzir o custo do item o mais rápido possível.

O novo bolo de carne da OKPI custa cerca de 5.800 rublos (cerca de 380 reais) por kg. A OKPI prevê que os preços possam cair para 800 rublos (em torno de 50 reais) por kg quando chegar aos supermercados. A empresa destaca que sua carne livre de morte de animais tem o dobro do prazo de validade da carne tradicional.

Além da OKPI, empresas em todo o mundo, incluindo Mosa Meat, JUST, New Age Meats, Integriculture e Biotech Foods, estão trabalhando para otimizar o processo de cultivo de carne. Segundo dados da empresa de pesquisa britânica Starcom, 41% dos britânicos poderiam comer carne cultivada em laboratório nos próximos dez anos.

A carne cultivada em laboratório da OKPI deve chegar ao mercado em 2023.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Você viu?

Em busca de companhias,

Fonte: g1.globo.com Uma das

Pixabay Aproximadamente 50 ativistas

Grupo de guardas ambientais

Foto: Reprodução Youtube /

Reprodução/Instagram/@osindefesos Três cachorros tiveram

The Dodo Onyx e

Foto: Reprodução/GRAD A destruição

Foto: Pixabay A tradição

Notícias | Você é o repórter | Histórias felizes | De olho no planeta


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
>