Agência de venda de caça a troféus oferece a morte de dois animais pelo preço de um


Foto: Rex Features
Foto: Rex Features

Embora covardes e cruéis as caçadas a troféus estão se tornando mais acessíveis para compra por caçadores, alertou um especialista em vida selvagem. Os clientes que sonham em viajar para a África para matar leões, elefantes e rinocerontes agora estão se beneficiando de ofertas de pacotes “dois por um”, informa o The Mirror.

Os preços foram derrubados por passagens aéreas mais baratas, cancelamentos de última hora e um aumento no número de reservas de caça em países como África do Sul, Botsuana e Namíbia. Uma empresa até oferece aos caçadores a chance de “adicionar uma leoa” ao seu tour de caça aos leões “sem nenhum custo extra”. Enquanto outro site oferece uma “oferta especial” em matar sete animais em cinco dias por apenas 1.499 libras.

Os animais listados na oferta incluem impalas (espécie de antílope), javalis, babuínos e gnus, e os clientes podem “adicionar uma zebra por 350 libras (cerca de 1.700 reais)”. Eduardo Goncalves, da Campanha para Banir Troféus, diz que os acordos estão tornando as caçadas de safári mais acessíveis, ressaltando que os negócios estão “crescendo” como resultado.

Foto: Rex Features
Foto: Rex Features

“Antes, eram apenas os nobres e os coronéis do exército que caçavam em safáris, disse o especialista ao Metro, “Hoje, são engenheiros de gás, gerentes de atendimento ao cliente de empresas de serviços públicos, supervisores de provedores de internet e até pensionistas do estado que estão saindo para matar animais selvagens por diversão. Ofertas de última hora e cancelamentos significam que alguns caçadores estão comprando as viagens nas promoções. É como a Black Friday (Sexta-feira Negra), mas para os animais todos os dias é um dia negro”.

A maioria das empresas apresenta fotos de clientes em viagens anteriores sentados ao lado ou segurando cadáveres de animais mortos por eles. O engenheiro de gás Manish Ghelabhai, de Kings Lynn, Norfolk, Inglaterra é destaque na página da mídia social de uma empresa, posando com um leão morto.

O caçador, segundo relatos, teria dito que sempre pensou que teria que economizar muito para fazer uma viagem de caça à África. No início deste ano, dados publicados revelaram que 2.242 ‘troféus’ de animais caçados foram importados apenas para o Reino Unido na última década, sendo que 15% deles eram de espécies ameaçadas de extinção. Isso incluía cabeças, pés, caudas, presas e chifres de animais como elefantes, leopardos, rinocerontes e leões.

Foto: Rex Features
Foto: Rex Features

O ministro do bem-estar animal do bloco de países, Zac Goldsmith, afirmou que o governo realizará uma consulta pública em caráter de urgência sobre a caça ao troféu. Ele disse que se sentiu mal ao ver fotos de caçadores orgulhosos, acrescentando: “A luta contra a caça de troféus de animais em extinção é importante. É claro que isso é moralmente indefensável e é por esse motivo que estou satisfeito com o fato do governo conservador consultar a população sobre uma proibição da importação desses troféus. “Ao colocar um valor mais alto em animais vivos do que mortos, começaremos a reverter a maré da extinção”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRATAMENTO MÉDICO

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>