A Argentina é tradicionalmente conhecida como um dos países com o maior consumo de carne do mundo – mas esse papel está atualmente ameaçado pelo crescente apoio ao vegetarianismo e veganismo no país.

A fachada de um restaurante vegano na Argentina
Foto: Associated Press Photo

Um recente questionário online descobriu que seis em cada dez argentinos estão dispostos a parar de consumir carne bovina. A ascensão do movimento é vista, principalmente, entre os jovens. Adrián Bifaretti, diretor de marketing do Institute for the Promotion of Beef (Instituto de Promoção ao Bife), afirmou que os jovens cresceram em meio a discussões sobre inclusão, igualdade e outras questões coletivas, o que influencia o modo que eles veem os produtos animais.

Dados de julho da Câmara de Comércio Argentina de Carne e seus Derivados mostram que os argentinos estão consumindo cerca de 50 kg de carne por ano – o nível mais baixo já visto no país.

“A preocupação com a crueldade e as mortes chegou aqui e está sendo sentida”, disse Bifaretti, em entrevista ao Daily Mail.

O consumo de carne bovina está tão presente na cultura da Argentina que os cozinheiros veganos precisam se esforçar para adaptar os pratos típicos do país para versões sem carne – mas, com muita criatividade e bom gosto, isso está acontecendo.

O vegetarianismo é uma realidade próxima ao país. Segundo o questionário, a maioria dos argentinos pretende deixar de consumir carne. O veganismo pode ser uma transição mais demorada, mas também está em ascensão.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.