Medida que foi implementada como parte da Política de Alimentos Sustentáveis de Cambridge, já representa um corte de emissões de carbono de 10,5%


Por David Arioch


Com um compromisso iniciado em 2016, a instituição começou a oferecer mais opções de pratos à base de plantas, incluindo diversidade em ofertas de proteínas de origem vegetal | Foto: Pixabay

A tradicional Universidade de Cambridge, situada no leste da Inglaterra, está reduzindo suas emissões de carbono tirando a carne vermelha do cardápio. Com um compromisso iniciado em 2016, a instituição começou a oferecer mais opções de pratos à base de plantas, incluindo diversidade de proteínas de origem vegetal.

De lá pra cá, a medida que foi implementada como parte da Política de Alimentos Sustentáveis de Cambridge, já representa um corte de emissões de carbono de 10,5% e envolve a oferta de alimentos em 14 pontos de venda e em mais de 1,5 mil eventos realizados anualmente pelo serviço de catering da instituição (UCS).

Dados da instituição coletados pelo jornal britânico The Independent revelam que a mudança já trouxe uma redução de 33% nas emissões de carbono por quilograma de alimento e redução de 28% no uso de terra por quilo de alimento.

“As opções veganas e vegetarianas também foram estrategicamente disponibilizadas na cantina a fim de estimular os clientes a comprá-las em vez das demais opções”, enfatiza o Independent.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.