Albertina Fogaça estava intrigada com o fato de chegar em casa e sempre encontrar pingo do lado de fora do portão, como ele conseguia fugir? A resposta estava na ousadia e habilidade do cachorrinho


 

Foto: Albertina Fogaça/Facebook
Foto: Albertina Fogaça/Facebook

É correto dizer que a tutora de Pingo, Albertina Fogaça, ficou perplexa com o resultado de sua investigação.

De alguma forma, seu cachorrinho brincalhão chamado Pingo continuava dando um jeito de sair do jardim da frente de sua casa, aqui no Brasil, para viver suas aventuras – apesar de não ter meios óbvios de escapar.

“Não sei quando isso começou”, disse Fogaça ao The Dodo. “Tudo o que eu sabia era que ele estava saindo mesmo quando o portão estava fechado”.

Albertina decidiu resolver o mistério do desaparecimento de Pingo de uma vez por todas.

Então, um dia, armada com uma câmera para filmar a fuga, ela colocou o filhote no quintal e esperou para ver como ele escapava.

Aqui está o que aconteceu a seguir:

Enquanto Albertina olhava de longe, Pingo fez sua grande fuga – subindo até um pequeno buraco no portão e se balançando até conseguir passar pelo pequeno espaço.

“Eu pensei que ele ia ficar preso ali, mas ele conseguiu passar”, disse Albertina. “Meu queixo caiu”.

Aqui está o Pingo saindo novamente, filmado de outro ângulo:

O mistério havia sido resolvido – deixando Albertina se sentindo mais impressionada do que chateada por sua aventura.

A seu favor, Pingo tem o fato de que ele nunca deixou de voltar para casa depois de suas aventuras, embora ele sempre precise que alguém abra a o portão pra ele voltar (já que aparentemente esse pequeno buraco é mais difícil de alcançar do lado de fora).

O maior incômodo para Albertina é ter que lidar com o que o filhote traz com ele depois que ele se diverte.

“Ele é aventureiro, sim”, disse Fogaça. “Ele sempre volta sujo e fedido. Pingo gosta de fuçar em lixo e rolar na terra.”

O gosto por aventuras está mesmo no sangue de Pingo.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.