Queimadas na Amazônia aumentam 196% em agosto e superam média histórica

(Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Para a coordenação do Observatório do Clima, o recorde de queimadas registrado em 2019 é “o sintoma mais visível da antipolítica ambiental do governo de Jair Bolsonaro”.


As queimadas na Amazônia quase triplicaram no mês de agosto em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 30.901 focos de incêndio até sábado (31). Em 2018, foram 10.421, o que representa um aumento de 196%. Os dados são do Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

(Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Além do aumento em relação a agosto do ano passado, o número de queimadas registrado em agosto deste ano também supera a média histórica para o mês, de 25.853, para o período entre 1998 e 2018, e é também o mais alto desde agosto de 2010, quando 45.018 focos de incêndio foram registrados devido a uma seca severa histórica.

As queimadas estão sendo realizadas no chamado “arco do desmatamento” – que começa no Acre, passa por Rondônia, pelo sul do Amazonas, chega ao norte do Mato Grosso e também ao sudeste do Pará. Especialistas acreditam que o fogo tem sido usado para limpar áreas desmatadas.

Na sexta-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro alterou um decreto assinado por ele um dia antes, que proibia queimadas em todo o país por 60 dias, e abriu uma exceção para “práticas agrícolas, fora da Amazônia Legal, quando imprescindíveis à realização da operação de colheita, desde que previamente autorizada pelo órgão ambiental estadual”.

A coordenação do Observatório do Clima, grupo que reúne aproximadamente 50 ONGs que lutam contra as mudanças climáticas, afirmou à revista Exame que o recorde de queimadas registrado em 2019 é “o sintoma mais visível da antipolítica ambiental do governo de Jair Bolsonaro”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui