ESCASSEZ

Pinguim nada 2500 quilômetros em busca de comida

O animal, exausto, foi resgatado e tratado antes de ser reintroduzido na natureza

Um pinguim, desnutrido e exausto, foi resgatado após nadar da Nova Zelândia para a Austrália.

O pinguim sendo tratado por veterinários
Foto: Melbourne Zoo

O pinguim-de-fiordland foi encontrado depois de viajar mais de 2500 quilômetros através do mar de Tasman. A equipe de resgate o encontrou extremamente cansado e faminto. Seu tratamento durou semanas, antes que ficasse forte o suficiente para ser liberado na natureza.

“Com o tempo, ele começou a ganhar peso novamente”, disse Michael Lynch, que participou do resgate. “Começamos a reintroduzi-lo na água quando ficou forte o suficiente para nadar, para que pudesse fortalecer seus músculos”, acrescentou.

O pinguim na água, possivelmente uma piscina
Foto: Melbourne Zoo

Lynch afirmou que essa espécie não costuma viajar longas distâncias e não migram em busca de alimento, o que torna o fato incomum e preocupante. Os pinguins-de-fordland são uma espécie ameaçada de extinção e estima-se que haja somente 5600 indivíduos na natureza.

“A vida no oceano é difícil, mas esperamos que este pinguim volte para a Nova Zelândia e se reproduza”, disse Lynch, em entrevista ao News. 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui