“Quando se trata da capacidade de sofrer e sentir dor e medo, um cachorro não é diferente de um porco, uma galinha ou uma vaca”


Por David Arioch


Se você não come um cachorro, porque você come um boi, um porco ou uma ovelha?”, declarou Carmody (Foto: PETA)

Em uma ação contra o consumo de animais, membros da organização Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA) assaram um cachorro falso em Dublin, na Irlanda, e em Belfast, na Irlanda do Norte, na semana passada.

O porta-voz do grupo, John Carmody, disse que as pessoas se sentem bem em comer bois, porcos e frangos, mas não animais domésticos. A ideia de preparar um churrasco com carne falsa de cachorro foi estimular as pessoas a refletirem sobre o fato de que elas comem alguns animais enquanto manifestam anseio em proteger outros.

“O que todos temos em comum é que somos feitos de carne e sangue, incluindo cães, gatos, bois e ovelhas. Se você não come um cachorro, porque você come um boi, um porco ou uma ovelha?”, declarou Carmody.

Às pessoas que paravam para ver o que estava acontecendo, eles pediam para que estendessem sua compaixão a todos os outros animais e considerassem o veganismo.

“Quando se trata da capacidade de sofrer e sentir dor e medo, um cachorro não é diferente de um porco, uma galinha ou uma vaca”, disse a diretora da PETA UK, Elisa Allen.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.