A descoberta foi baseada no exame de várias amostras de baleias mortas, incluindo testes de DNA, que levaram os cetáceos a serem oficialmente nomeados de Berardius minimus


 

Baleia Berardius minimus | Foto: The Telegraph/Reprodução
Baleia Berardius minimus | Foto: The Telegraph/Reprodução

Uma pequena baleia negra encontrada nas águas do Oceano Pacífico, na costa norte do Japão, foi identificada por cientistas como uma nova espécie.

Acredita-se que os baleeiros (caçadores de baleias) que vivem na ilha mais ao norte do Japão, Hokkaido, já sabiam da existência dessas “baleias bicudas”, referindo-se a elas pelo nome local karasu, que significa “corvo”.

Cientistas do Museu Nacional de Natureza e Ciência da Universidade Hokkaido confirmaram que as baleias raras são uma espécie que nunca foi formalmente identificada.

Suas descobertas foram baseadas no exame de várias amostras mortas, incluindo testes de DNA, que levaram os cetáceos a serem oficialmente nomeados de Berardius minimus (B. minimus).

O professor Takashi Matsuishi, da faculdade de Ciências da Pesca da Universidade Hokkaido, disse ao Science Daily: “Ainda há muitas coisas que não sabemos sobre o B. minimus. Ainda não sabemos como são as fêmeas adultas, e ainda existem muitas questões relacionadas à distribuição das espécies, por exemplo. Esperamos continuar expandindo o que sabemos sobre B. minimus”.

Foto: Hal Sato/Science Reports
Foto: Hal Sato/Science Reports

As baleias-de-bico são conhecidas por serem tímidas e arredias, com capacidade de mergulhar por longos períodos e preferência por águas profundas, o que significa que seu comportamento não foi tão bem documentado quanto o de muitos outros cetáceos.

Pesquisadores teriam acessado as redes de mamíferos marinhos, que compartilham informações entre cientistas sobre mamíferos marinhos encalhados ou falecidos. Posteriormente, eles coletaram seis baleias-de-bico encalhadas ao longo da costa norte do Japão, no mar de Okhost, antes de realizar análises aprofundadas de sua composição.

“Só de olhar para eles, podemos dizer que eles têm um tamanho corporal notavelmente menor, corpo em forma de eixo, bico mais curto e cor mais escura em comparação com as espécies conhecidas de Berardius”, acrescentou Tadasu Yamada, membro da equipe de pesquisa e curador do Museu Nacional de Natureza e Ciência.

A descoberta das novas espécies de baleias, suspeitas de serem as mesmas do tipo “karasu”, identificadas há muito tempo pelos baleeiros locais, ocorre logo após o Japão retomar suas controversas práticas de caça às baleias após um hiato de 33 anos, segundo o Telegraph.

Hokkaido é conhecido há muito tempo como um dos centros de caça às baleias do Japão, com muitos baleeiros baseados no porto de Kushiro.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.