A pesquisa revela ainda que os países sentem que estão sendo julgados por isso e são pressionados pelos demais pais e pelas mídias sociais a serem mais responsáveis com relação a alimentação das crianças


 

Foto: Stefano Giovannini
Foto: Stefano Giovannini

Mais de 30% dos pais sentem culpa por alimentar seus filhos com carne.

Um novo estudo da Maple Leaf Foods – uma empresa canadense de venda de carne processada – revelou que 34% dos pais se sentem culpados por alimentar seus filhos com “alimentos pouco saudáveis”, como carne. De acordo com um comunicado de imprensa, 24% deles consideravam que estavam sendo julgados por fazer isso.

Quase metade dos pais entrevistados disse que as notícias os faziam sentir-se pressionados a fazer escolhas mais saudáveis para seus filhos. Em torno de 54% disseram que a pressão veio das mídias sociais e 29% disseram que sentiram que outros pais os estavam pressionando.

Consumo de carne e os riscos à saúde

Histórias em torno dos riscos à saúde causados por produtos à base de carne processada são comuns. Estudos revelaram que a ingestão de pequenas quantidades de carne podem levar a um risco maior de desenvolvimento de câncer, o que levou a uma série de pedidos para a retirada de produtos à base de carne processada dos menus dos almoços escolares.

No ano passado, o Distrito Escolar Unificado de Santa Barbara (SBUSD) tornou-se o primeiro distrito escolar nos EUA a proibir carne processada. Nancy Weiss – diretora de serviços de alimentação do SBUSD – disse em um comunicado na época: “É a coisa certa a fazer para garantir que nossos alunos recebam comida da mais alta qualidade. Não há espaço para substâncias cancerígenas na fila do almoço”.

Vários médicos e especialistas em nutrição acreditam que a resposta para os pais preocupados está no consumo de alimentos à base de vegetais, em vez dos alimentos compostos de carne, como hambúrgueres, bifes e afins.
Doenças e meio-ambiente

Segundo a mundialmente renomada cirurgiã oncologista Dra. Kristi Funk – que trabalhou com celebridades, incluindo Angelina Jolie – os produtos de origem animal são prejudiciais ao corpo humano, ponto final.

Ela disse ao LIVEKINDLY no ano passado: “a resposta celular do corpo ao consumo de proteínas e gorduras animais é tudo o que alimenta e estimula as doenças e, ao mesmo tempo, prejudica a saúde. Os níveis de estrogênio aumentam, os hormônios do crescimento disparam, a inflamação é abundante, os radicais livres correm pelas células danificadoras e transformam o DNA”.

A produção de carne também tem um impacto negativo no meio ambiente, causando o desmatamento de florestas e emitindo enormes quantidades de gases de efeito estufa na atmosfera.

Hambúrgueres veganos

Os pais não precisam parar de alimentar seus filhos com hambúrgueres. Várias marcas oferecem opções de carne à base de vegetais, feitos com ingredientes veganos. Muitos hambúrgueres veganos têm o mesmo sabor de seus concorrentes de origem animal, então as crianças nem percebem a diferença.

A Impossible Foods e Beyond Meat tem alcançado recordes de venda e feito enorme sucesso com seus hambúrgueres à base de vegetais. Grandes cadeias de supermercado e lanchonetes fast-food como Burguer King já oferecem a opção vegana que inclusive, tem o mesmo sabor, cheiro, gosto e até “sangra” como o produto de origem animal segundo seus criadores.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.