ÍNDIA

Equipes de resgate salvam filhote de rinoceronte que se afogava em inundação

Autoridades alertam que 90% do Parque na Nacional de Kaziranga esteja submerso pelas águas da enchente, pelo menos dois rinocerontes já morreram em decorrência das fortes chuvas

Foto: AccuWeather
Foto: AccuWeather

Guardas florestais indianos resgataram um filhote de rinoceronte que estava se afogando durante uma inundação violenta na terça-feira última em Kaziranga, na Índia.

O filhote, que tem apenas três meses de idade, estava tentando alcançar sua mãe quando perdeu o equilíbrio e caiu nas águas que inundaram o Parque Nacional Kaziranga, localizado no estado de Assam, no nordeste do país.

Um vídeo mostra as equipes de resgate transportando o bebê rinoceronte em seu barco, que foi levado para o Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (IFAW). O filhote está sob vigilância 24 horas até que sua condição se estabilize.

“Em circunstâncias comuns envolvendo indivíduos jovens, tentativas (algumas com duração de semanas) são feitas para reuni-los com suas mães, antes de serem considerados pacientes para reabilitação a longo prazo”, disse Gail A’Brunzo, gerente de resgate da IFAW.

O IFAW disse que está atualmente cuidando de outros oito rinocerontes que foram deslocados pelas enchentes.

As inundações provocadas pelas monções devastaram partes do nordeste da Índia durante a semana passada, deixando milhões de desabrigados em todo o país e nos países vizinhos: Nepal, Paquistão e Bangladesh.

Foto: AccuWeather
Foto: AccuWeather

Mais de 4,2 milhões de pessoas foram diretamente afetadas pelas inundações apenas em Assam, de acordo com a CNN, e mais de 100 pessoas morreram até agora. Espera-se que as fortes chuvas continuem nos próximos dias.

Kaziranga, que abriga a maior população do mundo de rinocerontes indianos, foi particularmente atingida pelas tempestades. Estima-se que 90% do parque esteja submerso e pelo menos 19 pessoas morreram na área até agora. A enchente já matou pelo menos dois rinocerontes.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui