TAILÂNDIA

Dugongo resgatado morre de infecção causada por plástico marinho no estômago

O mamífero marinho, que é um parente do peixe-boi, cresce até três metros de comprimento, e é classificado como vulnerável à extinção, acredita-se restam apenas 250 indivíduos da espécie vivendo em águas tailandesas.

Foto: Sirachai Arunrugstichai/AP
Foto: Sirachai Arunrugstichai/AP

Um dugongo do sexo feminino, órfã, chamada de Marium, se tornou uma estrela da internet depois de ter sido resgatada sozinha e desnutrida na Tailândia em abril, infelizmente ela faleceu em decorrência da infecção causada por plásticos em seu estômago.

Veterinários que cuidavam do dugongo na ilha de Koh Libong, na província de Trang, sul da Tailândia, disseram que uma infecção causada pela ingestão de plástico contribuiu para sua morte. Eles acrescentaram que a perda do animal, chamado de “o amor da nação” pelo departamento de recursos marinhos e costeiros da Tailândia (DMCR), deveria servir como um alerta sobre os efeitos dos resíduos de plástico na vida selvagem.

Dugongos – mamíferos marinhos que crescem até três metros de comprimento – são vulneráveis à extinção, acredita-se que apenas 250 indivíduos da espécie vivem atualmente em águas tailandesas. Uma equipe de cerca de 10 veterinários e 40 voluntários cuidaram de Marium em águas rasas de Koh Libong, depois de descobri-la sozinha e desnutrida na província de Krabi.

Com cerca de quatro meses de idade, Marium ficou famosa depois que fotos de seus veterinários abraçando-a foram postadas on-line e o DMCR montou câmeras para transmitir ao vivo o momento em que ela era amamentada com mamadeira. Na semana passada ela mostrou sinais de estresse e se recusou a se alimentar, depois de encontrar outro dugongo no oceano.

Plástico encontrado no estomago do Dugongo | Foto: Nantarika Chansue
Plástico encontrado no estomago do Dugongo | Foto: Nantarika Chansue

Na quarta-feira, Marium foi transferida para um tanque-viveiro para um monitoramento mais próximo, mas morreu cedo, na manhã de sábado. Veterinários disseram que o animal mostrou sinais de choque, e que a autópsia revelou que pequenos pedaços de plástico tinham entupido e inflamado seus intestinos, causando a infecção fatal.

Eles encontraram também alguns hematomas no corpo de Marium, que, segundo eles, podem ter sido causados por um ataque de outro dugongo

“Todo mundo está triste com essa perda”, disse Nantarika Chansue, diretora da unidade de medicina animal da Universidade de Chulalongkorn, em Bangcoc. “A coisa que precisa ser resolvida, se vamos preservar animais marinhos raros, é preciso proteger o meio ambiente tanto para pessoas como para animais“.

Um segundo dugongo órfão, que é mais novo que Marium e foi encontrado em junho perto do local de resgate original de Marium, está sendo cuidado no Centro de Biologia Marinha da ilha de Phuket. Veterinários estavam considerando mover o animal, um macho chamado de Jamil, para Koh Libong, quando ele estivesse forte o suficiente para lidar com as condições do oceano. Eles esperavam que Marium e Jamil fossem liberados sozinhos no mar quando tivessem 18 meses, a idade em que os dugongos deixam suas mães em estado selvagem.

Falando no mês passado, Chansue disse: “Todo mundo se apaixonou por esses dois bebês.”

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui