Séculos atrás, milhões de elefantes vagavam pela maior parte da África. Atualmente, os poucos que restaram vivem em refúgios protegidos devido ao risco da caça de marfim, que dizimou grande parte da população. Outros se encontram em cativeiro, em zoológicos e outros recintos que encarceram os animais selvagens.

Dois elefantes de perfil na natureza
Foto: Gianluigi Guercia, AFP

Uma conferência será realizada em Hermanus, na África, no dia 6 de setembro, para discutir questões sobre o cativeiro, bem-estar e tratamento ético dos elefantes. Especialistas africanos da espécie se reunirão com o objetivo de criar uma estrutura avaliativa sobre o cativeiro dos animais e estabelecer padrões para um tratamento ético.

A Dra. Joyce Poole, respeitada pesquisadora de elefantes, falará sobre quem são os elefantes e explicará os motivos do cativeiro não ser adequado para a espécie.

A conferência será realizada depois das decisões de proteção aos elefantes tomadas na Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies Ameaçadas (CITES), que terminou no dia 28 de agosto. O comércio de elefantes e suas partes provocou um debate intenso entre países.

A conferência de Hermanus abordará tópicos como a importância da neurociência na conservação dos elefantes; a captura e venda de filhotes em Zimbábue; a maneira que os elefantes são explorados com objetivos financeiros; o estado de zoológicos; bem-estar e estresse causados pelo cativeiro; a importância dos elefantes na natureza e muitos outros.

A conferência espera tomar decisões que possam proteger o bem-estar dos elefantes, tanto físico quanto psicológico.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.