Por Bruna Araújo


Foto: Divulgação

A história do cavalinho brutalmente espancado no bairro Cabula, em Salvador (BA), gerou intensa mobilização nas redes sociais e exaltação de ânimos na última semana. As imagens, que mostram o animal gravemente ferido e ensanguentado, rapidamente viralizaram. Ativistas e protetores de animais de todas as partes do país compartilharam a história em busca de ajuda antes que fosse tarde demais. E a ajuda chegou.

O caso chegou ao conhecimento de Dona Iane Magalhães, dona do abrigo Cão e Adão, no distrito de Abrantes, em Camaçari, a cerca de 40 km de Salvador, por uma mensagem via WhatsApp. As imagens a perturbaram profundamente e ela decidiu ligar para a Brigada K9, equipe de bombeiros voluntários do Estado da Bahia, para denunciar os maus-tratos e solicitar o resgate do animal.

Divulgação

Iane foi informada pelos voluntários que diversas denúncias já haviam sido feitas, mas que eles não podiam resgatar o cavalo, pois não havia onde deixá-lo após o salvamento. Em uma entrevista à ANDA, a protetora conta que não pensou duas vezes em acolher o animal. “Eu fiz uma loucura. Eu tenho um abrigo para cães e gatos, mas eu falei ‘traz para cá que a gente dá um jeito'”, disse.

O resgate do cavalo ocorreu às 3h30 de terça-feira (03). Com muitas dores e assustado, ele chegou ao abrigo Cão e Adão às 04h50 daquele dia. Ele foi recepcionado por um funcionário do abrigo e pelos 254 cães e cerca de 50 gatos que vivem no local. As primeiras horas da chegada do cavalinho foram de correria ininterrupta. Carinhosamente batizado de Francisco, ele ganhou um local telhado e seguro para se abrigar, além de água e comida.

Divulgação

As circunstâncias das agressões infligidas ao cavalinho ainda não foram esclarecidas. Segundo uma das versões divulgadas nas redes sociais, um adolescente, que seria o tutor do cavalo, tentara montar no animal, que ao empinar o derrubou. Para se vingar, o rapaz o teria espancado cruelmente chegando a quebrar os dentes do cavalo. Ele agonizou por cerca de dois dias e seus ferimentos já estavam repletos de ovos de mosca.

Felizmente, Francisco não sofreu nenhuma fratura, mas seu corpo está coberto de lacerações das agressões e sua boca está ferida e faltando alguns dentes. Iane conta que os maus-tratos também o abalaram psicologicamente. “Ele estava com muito medo da gente. Quando tentamos olhar e examinar os dentes, ele se jogou no cão. Eu acho que ele pensou que seria agredido de novo”, recorda.

 

Ver essa foto no Instagram

 

ATUALIZAÇÃO SOBRE O CAVALINHO FRANCISCO: CENA FORTE AO FINAL, SE FOR SENSÍVEL NÃO REPASSE. Amigos, o cavalinho Francisco passou por consulta veterinária com o veterinário Nelson Delfino. Anteontem Francisco não deixou ser examinado, estava muito assustado e reativo. Ontem ele ja deixou o doutor se aproximar e avaliar. Ele ainda está com as patas traseiras machucadas e inchadas e teve 4 dentes superiores quebrados (foto no final). Está tomando antibiótico, anti inflamatório, analgésico e soro. Ainda está em observação e vamos aguardar sua recuperação! 🙏🏻🙏🏻 Para quem puder ajudar com qualquer valor: Caixa Econômica Federal Iane Magalhães de Santana CPF 45493456591 Agência 3183 Conta 6741-1 Operação 013 Banco do Brasil Micaele Thaise Trindade Guimarães Santos Conta 71042-3 Agência 1599-7 Banco Santander Micaele Thaise Trindade Guimarães Santos Conta 01.001963.6 Agência 1751 Bradesco Ag 3602 CP 1003814-6 Roberta Cristina Cruz de Lima Para doações de rações, podem ser feitos depósitos diretamente nas contas da casa de ração, mas PRECISA MANDAR COMPROVANTE: Cheiro De Fazenda Banco do Brasil Conta 50884-5 Agência 2866-5 Banco Itaú Conta 07427-5 Agência 8212 Banco Santander Conta 13000687-9 Agência 3704

Uma publicação compartilhada por Ent. Prot. Animal Adão e Cão (@abrigoadaoecao) em

O cavalinho está sendo medicado e bem alimentado. O abrigo não contava com esse novo integrante e uma campanha está sendo realizada para custear a recuperação de Francisco. Além dos custos para reforma do recinto onde o cavalo está sendo mantido, também é necessário custear medicação, feno e ração, além de todos os procedimentos necessários para ajudá-lo.

A investigação dos maus-tratos ao cavalinho será dirigida pela K9. Até o momento, o agressor ainda não foi identificado. Cinco pessoas já demonstraram interesse em adotar Francisco, mas ele ainda tem uma longa caminhada rumo à recuperação e um importante apoio. “Poder abrigar um cavalo eu não podia, mas eu não conseguia ver aquelas fotos e não fazer nada. Eu tinha que fazer”, concluiu Iane.

Para ajudar o cavalinho e o abrigo Adão e Cão basta solicitar os dados bancários através do perfil do abrigo no Instagram clicando aqui ou conversando diretamente com a Dona Iane através do telefone (WhatsApp): 71 9628-3334.