NOVA VIDA

Cachorro obeso que seria sacrificado ganha novo lar

Seus antigos tutores o levaram até um veterinário, que se recusou a sacrificá-lo e contatou uma ONG. O cachorro foi adotado e mudou seus hábitos de vida, se tornando saudável e forte

Por Rafaela Danasceno

Um cachorro ganhou uma nova vida depois que seus antigos tutores o abandonaram em um veterinário para ser sacrificado. Kai, o cachorro, pesava 173 libras (mais de 78 kg) quando foi deixado em uma clínica em Onoway, no Canadá, em março de 2018.

O veterinário se recusou a matá-lo e contatou a ONG Misfits of Alberta Animal Rescue, que cuidou para que Kai fosse adotado por uma nova tutora, Pam Heggie. Ela ficou insegura sobre como lidar de maneira adequada com o peso do cachorro, mas o veterinário a tranquilizou.

“Qualquer coisa que você fizer vai ajudá-lo”, disse ele. “Qualquer coisa que ele te deixar fazer será bom para ele”. Foi então que ela se comprometeu a salvar seu novo cachorro.

Kai ainda obeso, um golden retriever de 78 kg
Foto: Facebook/This is Kai

Na primeira vez que Kai subiu as escadas de sua nova casa, demorou mais de 20 minutos para vencer os degraus. “Ele dava dez passos, então deitava e começava a ofegar”, contou Heggie ao Daily Mail. Mas apesar de todas as dificuldades, Kai estava determinado, assim como sua nova tutora.

Eles começaram a andar um pouco de cada vez. No começo, iam até a entrada do vizinho mais próximo e voltavam para casa. Depois, começaram a ir até a casa seguinte. E então começaram longas caminhadas.

Kai e sua nova tutora
Foto: Facebook/This is Kai

Além dos exercícios, Kai também recebeu uma dieta rigorosa e sessões de terapia na água. “Ele aprendeu que eu ia ajudá-lo e que nós ficaríamos bem”, contou Heggie.

Kai fazendo terapia de água
Foto: Facebook/This is Kai

Kai perdeu 100 libras (45 kg) em apenas um ano, emocionando Heggie. “Eu olho para ele agora e esqueço o quão doente ele estava. Agora ele é apenas um cachorro, fazendo tudo o que os cachorros podem fazer”, disse.

Segundo a tutora, Kai é o exemplo perfeito de paciência e perseverança. “Ele não se preocupa com o passado, com o futuro, ele apenas se concentra no que deve ser feito agora – e faz isso! Podemos aprender muito com os cachorros”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui