Uma menina de 15 anos é filmada treinando golpes no touro jovem que é perfurado sete vezes por uma lança antes de desfalecer agonizante no chão


 

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Além de serem torturados cruelmente nas arenas, com sua morte servindo de entretenimento para a plateia, os touros mais jovens, muitos apenas bezerros, são usados para ensinar adolescentes a matar em escolas de touradas.

As escolas de touradas na Espanha são verdadeiros palcos de tortura onde jovens, mal saídos da infância, são ensinados a matar touros. As imagens flagram o momento em que uma menina de 15 anos fere com sete golpes de “banderilla” (espécie de lança comprida e afiada e enfeitada usada por toureiros) um filhote de touro até matá-lo

Imagens do cruel evento que ocorreu em Esquivias, na Espanha, foram divulgadas por ativistas do grupo de defesa animal Animal Guardians com o objetivo de conscientizar o público e expor o sofrimento a que são submetidos os touros.

No vídeo, o jovem touro exausto já está perfurado por quatro bandarilhas quando a garota tenta espetá-lo com uma espada.

Mas sua inexperiência a impede de dar um golpe mortal, forçando o animal a suportar pelo menos mais sete facadas antes que ele desmaie.

A filmagem também mostra crianças recebendo troféus grotescos – orelhas arrancadas dos filhotes de touro agonizantes, cada um com menos de dois anos de idade.

No passado, os ativistas só podiam especular a idade dos jovens participantes, mas desta vez eles conseguiram confirmar que a menina tinha 15 anos e que um outro garoto que participava tinha 17 anos.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Marta Esteban, do Animal Guardians, disse que esses eventos podem distorcer a maneira como os jovens entendem a violência.

Ela disse ao Daily Mail: “Consideraríamos uma forma de entretenimento ver meninos e meninas torturando cães e gatos ou até ovelhas? Por que é diferente com touros? Claramente não é”.

“Permitir que crianças torturem e matem animais, causando um sofrimento imenso a esses seres, especialmente como um espetáculo público, é um atentado à sua integridade física e mental.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

“Esse tipo de ‘treinamento’ acaba com a empatia deles com o sofrimento alheio e abre a porta para mais violência – mesmo que seja apenas para entretenimento”.

“Isso também anula os direitos da criança de viver em um ambiente livre de violência.”

A mais recente indignação com esses episódios sádicos ocorreu nas redes sociais com a onda de revolta pelo uso de matadores que são nada mais que crianças, em que o comediante e ativista pelos direitos animais, Ricky Gervais, classificou a academia de touradas como uma escola de m**** em um post na internet.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

O sangrento espetáculo em Esquivias, a cerca de 34 quilômetros ao sul de Madri, foi realizado para “homenagear” as mulheres da cidade, mas teve pouca participação do público.

Carmen Ibarlucea, presidente do movimento contra touradas La Tortura No Es Cultura (Tortura não é Cultura), rejeitou publicamente a homenagem.

“Homenagens às mulheres – desse tipo, como as touradas – são uma tradição a ser extinta”, disse ela.

“Exibir menores de idade exercendo violência contra animais não é uma maneira de promover a igualdade, e isso contraria a proteção das crianças que a Espanha assumiu o compromisso de defender”.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Esteban disse que o programa foi realizado com o apoio do estado, acusando o governo da região e o conselho da cidade de apoiá-lo.

Ela continuou: “Como estamos sendo ignorados, pedimos aos cidadãos de todo o mundo que nos ajudem e escrevam para embaixada da Espanha de seus países e exijam o fim dessas práticas”.

“Do nosso lado, continuaremos a expor esses eventos cruéis e denunciá-los a instâncias mais elevadas até sermos ouvidos”.

O governo regional de Castilla-La Mancha e o conselho da cidade de Esquivias foram contatados para comentar pelo Daily Mail porém não se posicionaram até o fechamento da matéria.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.