Foto: Kirstin LaRoche
Foto: Kirstin LaRoche

Quando Wilbur chegou em sua casa adotiva depois de ser resgatado pela ONG One More Dog Rescue, ele estava com medo de absolutamente tudo. O cachorrinho tinha apenas 9 meses de idade, mas claramente, seu início à vida não fora nada fácil.

Sua família adotiva sabia que eles poderiam ensiná-lo que o mundo não era tão assustador, com um pouco de paciência e muito amor. Apenas alguns meses depois, ele se tornou um cão completamente diferente e sua família adotou-o oficialmente.

“Quando nós o pegamos pela primeira vez, ele ficou aterrorizado, paralisado no lugar e com medo de tudo e todos”, Kirstin LaRoche, a tutora de Wilbur, disse ao The Dodo. “Eu tive que carregá-lo no colo para fora do abrigo de tão nervoso que ele estava. Desde então, com muita paciência carinho e amor, ele se transformou em um cão feliz, bobo, desajeitado, confiante e brincalhão. Ele é como um personagem de desenho animado.

Foto: Kirstin LaRoche
Foto: Kirstin LaRoche

No começo, Wilbur estava com medo de passar muito tempo fora, no quintal. Tudo no mundo o aterrorizava: o vento soprando, o barulho dos pássaros, cada pequeno som e movimento. Agora que ele sabe que está seguro e é amado, ele adora estar fora e explorar – às vezes um pouco demais.

Recentemente, Wilbur assumiu começou a apresentar um hábito (desobediente) de cavar buracos em torno de seu quintal. No começo, sua tutora não ficou nada feliz com isso até que ela percebeu por que Wilbur estava cavando os buracos.

Em vez de apenas cavar buracos aleatórios e depois deixá-los, Wilbur decidiu usá-los para o melhor fim possível: tirar cochilos longos e pacíficos do lado de fora.

“Eu passei pela nossa porta e aconteceu de vê-lo dormindo com o canto do meu olho”, disse LaRoche.

Foto: Kirstin LaRoche
Foto: Kirstin LaRoche

A mãe de Wilbur não conseguia parar de rir quando ela o descobriu dormindo no seu buraco, caído da maneira mais engraçada. Ele estava tão quieto que ela teve que verificar se ele estava bem, e o cão resgatado ficou muito surpreso quando ela o acordou de seu profundo sono no fundo do quintal.

“Eu não tenho certeza de quanto tempo ele estava ali, mas eu bati na janela para chamar sua atenção e ele acordou imediatamente”, disse LaRoche divertida.

Um pouco envergonhado por sua tutora tê-lo encontrado cavando buracos e adormecido dentro deles, Wilbur entrou correndo na casa imediatamente, ansioso para se desculpar – mas, é claro, é muito difícil ficar com raiva desse rosto.

Foto: Kirstin LaRoche
Foto: Kirstin LaRoche

A família de Wilbur encheu seu buraco para manter seu quintal limpo e seguro, mas eles têm a sensação de que não vai ficar assim que Wilbur decidir que ele está pronto para outra soneca.

“Infelizmente para ele, desde então, enchemos o buraco, mas eu não ficaria surpresa se ele cavar em outra área para dormir em breve”, disse LaRoche.

Não há como saber exatamente o que Wilbur passou em seus primeiros nove meses de vida, mas agora ele está vivendo o sonho canino, cavando buracos para cochilar sempre que quiser, e sua família não poderia estar mais feliz com o quão longe ele chegou até aqui.

“Eu não queria adotar outro cachorro, especialmente um filhote, ainda mais porque já tínhamos três cachorros”, disse LaRoche. “Mas ter um cão que está sob seus cuidados que vai do abatimento e do medo, ao crescimento e florescimento em um cão incrível, feliz e confiante, é diferente de qualquer sentimento ou experiência no mundo e nós apenas sabíamos que não poderíamos deixá-lo ir nunca mais.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.