INCÊNDIOS FLORESTAIS

Artistas usam redes sociais para protestar contra queimadas na Amazônia

Leonardo DiCaprio, Ingrid Guimarães, Sophie Charlotte e Letícia Colin foram alguns dos artistas que se pronunciaram.

Leonardo DiCaprio foi um dos artistas que protestou contra as queimadas na Amazônia (Foto: Reprodução/Instagram)

Celebridades de todo o mundo estão usando as redes sociais para protestar contra as queimadas na Amazônia. O fogo atinge a floresta há semanas, causando imensa destruição.

A responsabilidade de tamanha destruição é da ganância e irresponsabilidade de fazendeiros, que promoveram o “dia do fogo” na região amazônica, incendiando a floresta, do desmonte da agenda ambiental promovido pelo governo Bolsonaro – que cortou R$ 187 milhões do orçamento do Ministério do Meio Ambiente, fazendo com que a pasta perdesse 95% das verbas destinadas, entre outras coisas, ao combate a incêndios florestais.

Leonardo DiCaprio foi um dos artistas que protestou contra as queimadas na Amazônia (Foto: Reprodução/Instagram)

Inconformados com esta realidade, artistas decidiram expor seu repúdio. Dentre as celebridades que se pronunciaram estão Leonardo DiCaprio, Ingrid Guimarães, Sophie Charlotte, Letícia Colin, Isis Valverde, Mariana Goldfarb, Anitta e Pabllo Vittar.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Aterrorizante pensar que a Amazônia, a maior floresta tropical do planeta, responsável pela produção de 20% do oxigênio mundial, basicamente os pulmões do mundo, tem pegado fogo nos últimos 16 dias consecutivos, literalmente, sem a cobertura da mídia. Por quê?”, publicou Leonardo DiCaprio, conhecido por levantar a bandeira da defesa do meio ambiente.

“AMAZÔNIA! Nosso patrimônio em chamas! Chega desse governo maldito mentiroso destruidor de tudo que é importante! De tudo que é belo!”, escreveu Sophie Charlotte. “Enquanto os homens exercem seus podres poderes…”, disse Ingrid Guimarães.

A hashtag #PrayForAmazonas (rede pela Amazônia, em tradução livre) foi usada por Pabllo Vittar, que escreveu “salvem a Amazônia” no Instagram. A hashtag também é a mais usada no Twitter no mundo inteiro.

A agropecuária e suas consequências

A agropecuária é a principal responsável pelo desmatamento no Brasil. Dados da organização internacional Forest Trends indicam que, entre 2000 e 2012, a agropecuária foi responsável por até 90% da área desmatada ilegalmente na Amazônia.

Seja para fazer pasto para criar bois que serão mortos para consumo humano, ou para plantar grãos, como a soja, usados em sua maioria esmagadora para a alimentação dos animais explorados, a agropecuária tem promovido um desmate alarmante.

Em maio, foram 19 hectares de floresta desmatados a cada hora na Amazônia. Em julho, o aumento do desmate, quando comparado ao mesmo período de 2018, foi de 278%. Essas estatísticas são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Os dados expõem a responsabilidade compartilhada no que se refere ao desmatamento ao mostrar que tamanha destruição não é provocada apenas pelos desmontes do governo, mas também pela atitude de cada brasileiro que se nega a promover uma mudança de hábitos alimentares e insiste em continuar a consumir produtos de origem animal, contribuindo para que a agropecuária siga desmatando áreas em prol da produção de carne e derivados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui