Nova Zelândia proíbe turistas de nadarem com golfinhos após queda nos números da espécie


Os operadores turísticos da Nova Zelândia podem interagir com os golfinhos-nariz-de-garrafa por apenas 20 minutos | Foto: Monash University/EPA
Os operadores turísticos da Nova Zelândia podem interagir com os golfinhos-nariz-de-garrafa por apenas 20 minutos | Foto: Monash University/EPA

O governo da Nova Zelândia proibiu turistas de nadarem com golfinhos na tentativa de salvar as espécies que encontram-se em dificuldades devido a atividade humana turística nas regiões costeiras.

De acordo com o departamento de conservação [DoC], a pesquisa mostrou que os seres humanos estavam “amando demais os golfinhos” e a interação humana estava “tendo um impacto significativo no comportamento de descanso e alimentação da população”.

A proibição de nadar com golfinhos-nariz-de-garrafa aplica-se aos operadores turísticos na região da Baía das Ilhas da Ilha do Norte, que é popular entre os turistas pelo seu clima quente e praias ensolaradas. Outros passeios que envolvem interação com diferentes espécies de golfinhos em outras partes do país ainda são permitidos.

Os golfinhos-nariz-de-garrafa preferem nadar nas regiões costeiras, tornando-os vulneráveis à atividade humana, e seu número na Baía das Ilhas diminuiu em 66% desde 1990, de acordo com o DoC.

Um grupo específico de apenas 19 golfinhos visitam a região regularmente agora, e os últimos relatórios mostram uma taxa de mortalidade de 75% entre seus filhotes – a mais alta observada tanto na Nova Zelândia, como internacionalmente e em cativeiro.

Ao lado da proibição de nadar com golfinhos, o DoC estipulou que os operadores turísticos podem interagir com os golfinhos apenas por períodos de 20 minutos (redução de 30 minutos) de cada vez, e todos os operadores turísticos serão restritos a visitar de manhã ou à tarde, em para possibilitar um período de tempo onde os golfinhos são deixados sozinhos.

A possibilidade de criar um santuário de mamíferos marinhos na Baía das Ilhas também está sendo investigada pelo DoC, junto com parceiros de pesquisa e tribos maori locais.

Os operadores turísticos da Baía de Plenty levantaram preocupações sobre o impacto que a nova proibição terá no número de turistas, e disseram que menos operadores turísticos na água significarão menos atenção aos barcos privados que interagem com a população vulnerável.

Os turistas ainda podem nadar com golfinhos-nariz de garrafa ou golfinhos-do-crepúsculos em passeios realizados na Ilha do Sul.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

NOVO LAR

COMPAIXÃO

GANÂNCIA

CAMINHO OPOSTO

ÁFRICA DO SUL

ESTADOS UNIDOS

CRUELDADE

ESTUDO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>