Vitória para tubarões e raias em conferência internacional de proteção às espécies


A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) revelou em março que 17 espécies de raias e tubarões enfrentam a extinção | Foto: AFP/Sayllou
A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) revelou em março que 17 espécies de raias e tubarões enfrentam a extinção | Foto: AFP/Sayllou

Uma proposta para fortalecer as proteções dos tubarões-mako, caçados por sua carne e barbatanas, foi adotada no último domingo (25 de agosto) por 102 países-membros na Cúpula Mundial de Comércio de Vida Selvagem da CITES, em Genebra, na Suíça.

Os tubarões-mako, conhecidos como as espécies de tubarões mais velozes do oceano, praticamente desapareceram do Mediterrâneo e o seu número declinou muito nos oceanos Atlântico, Pacífico Norte e Índico.

O México apresentou uma proposta para listar os tubarões-mako no Apêndice II da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (CITES), o que significa que eles não podem ser comercializados a menos que se prove que sua pesca não ameaçará suas chances de sobrevivência.

Peixe seco e barbatana de tubarão à venda em uma loja de Hong Kong | Foto: Anthony Wallace
Peixe seco e barbatana de tubarão à venda em uma loja de Hong Kong | Foto: Anthony Wallace

Os tubarões-mako costumam ser alvo por causa de suas barbatanas – usadas na sopa de barbatana de tubarão -, um prato “de status” nos países asiáticos, especialmente na China, onde é frequentemente servida em casamentos.

“A pesca é a principal ameaça enfrentada pelos tubarões”, disse um delegado da União Europeia, que apoiou a proposta.

“Precisamos de medidas muito mais fortes” do que as iniciativas nacionais para evitar a extinção da espécie, disse ele durante um acalorado debate.

Os países que se opõem à medida, como o Japão e a China, argumentam que não há dados científicos suficientes para mostrar que os tubarões-mako estão declinando como resultado de seu comércio. Quarenta nações votaram contra a medida.

Delegados de mais de 180 países que se reuniram em Genebra por 12 dias também votaram pela inclusão de um total de 18 espécies de raias e tubarões no Anexo II.

“Há um verdadeiro impulso global para salvar essas espécies. Agora há esperança para essas 18 espécies de tubarões e raias”, disse Megan O’Toole, do Fundo Internacional para a Proteção dos Animais (IFAW).

“Agora há esperança para essas espécies”, acrescentou Luke Warwick, da Wildlife Conservation Society.

A votação ainda deve ser finalizada na sessão plenária ao final, quando todas as propostas de mudança de apêndice aprovadas em comitê forem adotadas oficialmente.
A CITES pode impor sanções a países que não aderem às suas regras.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) revelou em março que 17 espécies de raias e tubarões enfrentam a extinção.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'

ÍNDIA

REVOLTA

AÇÃO SOCIAL

MÉXICO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>