Enquanto animais tirados da rua não encontram lares, cães de raça têm 8 mil interessados em adotá-los


Os 72 cachorros de raça resgatados pela Polícia Civil em Curitiba (SP) após maus-tratos têm 8 mil pessoas interessadas em adotá-los. A realidade, no entanto, não é a mesma para os animais sem raça definida que vivem nas ruas e abrigos. Em Curitiba e no restante do país, esses animais sofrem enquanto aguardam pela adoção. Muitos deles morrem sem nunca encontrar uma família.

Foto: Pixabay

Os cães de raça estão sob a responsabilidade da Casa do Produtor e do Instituto Fica Comigo, que também abrigam animais sem raça definida. De acordo com a presidente do instituto, Carla Vick, há pessoas de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul interessadas em adotá-los. As informações são da Gazeta do Povo.

“Para nós foi um grande susto tantas pessoas procurarem por esses cachorros de raça resgatados, isso nunca aconteceu”, relata.

Ao conversar com os interessados, a Casa do Produtor tenta convencê-los a adotar os cães sem raça definida. No entanto, na maior parte dos casos a resposta não é positiva. “Vários, infelizmente, só querem adotar se for um cão de raça. Eu acredito que adoção é um ato de amor e amor não tem cara, cor e nem pelagem”, diz Vick.

“Existem vira-latas que chegam a morrer conosco esperando adoção e as pessoas só querem animais de raça”, lamenta.

A presidente lembra ainda que, além de escolherem a raça, os adotantes querem filhotes. “Eles acham que por ser filhote vai ser melhor de adestrar. Cães adultos já sabem onde urinar, obedecem e não vão destruir sua casa”, explica.

O Instituto Fica Comigo promove, durante todo o ano, feiras de adoção semanais para procurar novos lares para os cães sem raça definida resgatados do abandono e de maus-tratos. As feiras são realizadas na Casa do Produtor aos sábados e domingos, das 11h às 17h, na Rua Engenheiro Rebouças, 1814, no Rebouças; na Cobasi – Linha Verde aos sábados e domingos, na Av. Salgado Filho, 580, no Prado Velho; e no Rei dos Animais somente aos sábados, na Rua XV de Novembro, 3188, no Alto da XV.

Para adotar, é preciso apresentar RG, CPF e comprovante de residência. A única exigência é de que o tutor tenha condições físicas, psicológicas e financeiras para adotar um cachorro.

“Nós resgatamos esses animais em situações horríveis então cuidamos para que eles não voltem para o mesmo estado de que os encontramos. Eles saem de nossas mãos para outras melhores”, destaca Carla.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA

RECOMEÇO

FINAL FELIZ


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>