Ativistas protestam contra a temporada de caça de perdiz


Por Rafaela Damasceno

A última segunda-feira (12) marcou o início da temporada de caça de perdiz, que atrai muitos turistas, principalmente na Inglaterra e Escócia. A temporada dura 16 semanas.

Um homem segurando um perdiz morto. Ao seu lado está um cachorro
Foto: Press Association

Este ano, o Partido Trabalhista está pedindo uma revisão do “esporte” sangrento, influenciado pelas alegações de que ele é a causa de muitos danos ao meio ambiente.

Durante a caça às perdizes, os animais são direcionados até um campo aberto, onde são mortos quando tentam sobrevoar os caçadores. Antes da temporada, é necessário preparar o local, o que normalmente é feito queimando os campos de urze – planta que cresce em formato de arbusto, muito comum na Escócia.

Ambientalistas e ativistas em defesa dos direitos animais argumentam que os tiroteios, que conduzem os animais para a morte, são cruéis e deveriam ser banidos. Eles ainda dizem que predadores naturais, como raposas e arminhos, são mortos para manter o número de perdizes. Os ativistas ainda demonstraram preocupação com o desaparecimento de diversas aves de rapina nos últimos meses.

Os defensores da caça alegam que a queima proposital da urze diminui os riscos de incêndio acidental, além de criar um habitat ideal. A Sociedade Real de Proteção aos Pássaros (RSPB, na sigla em inglês) discorda. Para a RSPB, a prática é perigosa para o meio ambiente porque destrói o habitat e mata diversas aves de rapina.

“A obsessão de perseguir um número cada vez maior de perdizes é um desastre para as pessoas e para a natureza”, afirmou Martin Harper, diretor de conservação da RSPB. “As aves estão sendo mortas e os habitats queimados, liberando toneladas de gás carbônico no ar”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIOLÊNCIA

PESQUISA

APELO

RECOMEÇO

BARBÁRIE

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO

CHINA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>