Por Rafaela Damasceno

Ativistas pelos direitos animais pedem uma investigação de crueldade em um zoológico em Bakersfield, na Califórnia, depois que três animais faleceram no local. Um gambá, que morreu de fome este ano, e duas martas pescadoras infestadas de pulgas, no ano passado.

Um gambá andando na grama
Imagem ilustrativa | Foto: Kirk McCabe

“Qualquer instalação de cuidado com animais perceberia que um deles estava faminto ao ponto de morrer ou que pulgas estavam comendo animais vivos”, comunicou Brittany Peet, diretora da execução da lei de animais em cativeiro da PETA. Ela pede que as autoridades responsabilizem o zoológico pela negligência que levou à morte lenta e dolorosa dos animais.

Na última quarta-feira (10), a diretora escreveu uma carta ao xerife do condado de Kern, afirmando que o local submeteu os animais a um sofrimento desnecessário, o que viola a lei que proíbe a crueldade contra os animais.

O zoológico se posicionou fortemente contra as acusações, alegando que trabalham incansavelmente para prover o melhor atendimento possível aos animais e consideram a saúde e bem-estar deles a sua maior prioridade.

O comunicado emitido pelo local ainda disse que a instalação cuidou de milhares de animais com carinho, mas as mortes de animais ocorrem naturalmente. O zoológico afirma ter aumentado os cuidados veterinários e chamado voluntários treinados.

O gabinete do xerife diz que vai conduzir uma investigação preliminar e encaminhar relatórios para as autoridades competentes para tratar do caso.

Uma marta pescadora na natureza
Imagem ilustrativa | Foto: Mass Audubon

A PETA obteve e publicou o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Ele afirma que houve uma falha em tratar dos problemas de saúde dos animais, o que pode ter levado a eles uma dor desnecessária e causado suas mortes.

O relatório sobre a morte do gambá, em fevereiro deste ano, disse que uma revisão dos registros revelou uma taxa de mortalidade muito alta neste zoológico desde 2018. Também não havia comida ou fezes no trato intestinal do animal, o que pode ser um sinal de infecção viral.

O zelador e o curador do local declararam que não havia nenhum tipo de procedimento para garantir que todos os animais com compartimentos compartilhados estivessem se alimentando.

O relatório da morte das martas pescadoras concluiu que os funcionários falharam em tratá-las de uma grande infestação de pulgas. Além disso, o zelador também afirmou que encontrou muitos arranhões nos animais, mas nenhum remédio foi aplicado.

A PETA pediu para que o restante dos animais presentes no zoológico fosse transferido para instalações respeitáveis. A organização ainda ofereceu assistência para encontrar lugares mais adequados a eles, mas a ajuda foi negada.

O zoológico da Califórnia declarou que espera o apoio da comunidade local enquanto trabalha para melhorar sua instalação.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.