ANIMAIS SENCIENTES

Estudo mostra que bodes e cabras conseguem distinguir emoções nos chamados de seus companheiros

Eles conseguem perceber e reagir quando o outro animal está triste ou feliz

Por Rafaela Damasceno

Os bodes e as cabras, animais explorados principalmente pelo leite, são criaturas sensíveis e capazes de diferenciar as emoções de seus companheiros. O estudo que atesta isso, realizado pela Queen Mary University of Londres (Universidade Rainha Mary de Londres), mostra ainda que eles respondem aos sentimentos de seus pares, um fenômeno conhecido como contágio emocional.

Um bode encostando a cabeça em outro
Foto: Cultura Mix

O principal pesquisador do estudo, Luigi Baciadonna, declarou que “apesar de sua importância evolutiva, a comunicação social das emoções em animais não humanos ainda não é bem compreendida”.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Os pesquisadores selecionaram os bodes como animais com potencial emotivo devido a estudos anteriores que comprovaram que eles são inteligentes e possuem vidas sociais complexas. Um experimento indicou que eles conseguem distinguir as chamadas de seus amigos e isso foi essencial para que levantassem a hipótese de que os animais poderiam também saber como eles estavam se sentindo.

Ser capaz de compartilhar as emoções de outros animais da mesma espécie pode fortalecer laços sociais entre os membros do grupo.

A pesquisa foi feita com os animais felizes e tristes. Então os pesquisadores tocaram os sons para outros da mesma espécie, que reagiram de acordo com as diferentes emoções. Ao ouvirem os sons positivos, o ritmo cardíaco dos bodes se tornou regular.

O especialista Frans de Waal, da Emory University, afirmou que “a empatia é uma característica principalmente dos mamíferos”, o que explicaria o compartilhamento de emoções presente nos bodes.

Rachel Sparks, porta-voz da Sociedade Britânica dos Bodes, declarou que não se impressionou com o resultado da pesquisa. “Essa espécie é muito mais sensível a mudanças do que outros animais”, declarou ao The Guardian. “Se estou tendo um dia ruim, os bodes sempre me animam. Eles sabem quando você está feliz, triste ou estressado”, completou.

As descobertas, que foram publicadas na revista Frontiers in Zoology, podem provocar mudanças na pecuária, principalmente na maneira que os animais são alojados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui