Dois rinocerontes são mortos por caçadores em reserva ambiental


Imagem ilustrativa, rinocerontes na Namíbia | Foto: Nampa
Imagem ilustrativa, rinocerontes na Namíbia | Foto: Nampa

Dois rinocerontes foram encontrados mortos no Parque Nacional Etosha, uma reserva natural que fica na Namíbia, na semana passada, confirmou o Ministério do Meio Ambiente e Turismo na terça-feira.

De acordo com o diretor de relações públicas do ministério, Romeo Muyunda, os corpos dos animais foram descobertos no sábado por membros da equipe, e o incidente foi confirmado como morte por caçadores.

Os rinocerotes deveriam estar protegidos dentro da reserva, que é vigiada por guardas armados, os caçadores provavelmente entraram escondidos no local.

A informação foi divulgada depois que os funcionários do ministério e a Unidade de Recursos Protegidos da Polícia da Namíbia examinaram a cena e determinaram que as mortes dos rinocerontes estavam ligadas à caça.

“Eles foram até o local para encontrar os cartuchos de balas usados”, explicou Muyunda. Embora os corpos dos rinocerontes tenham sido descobertas por patrulhas que fazia a roda a pé, há também vigilância por helicóptero na área.

No entanto, dada a ampla área e vegetação do parque, a vigilância por helicóptero não é capaz de detectar todos os incidentes de caça.

“Etosha é enorme, e fazemos patrulhas regularmente. Algumas áreas têm muita vegetação, então você não pode ver muito de cima, enquanto algumas áreas não são acessíveis a pé”, disse ele.

Muyunda confirmou que um total de 29 espécies ameaçadas foram caçadas este ano, com 23 rinocerontes e seis elefantes.

Ele acrescentou que a maioria desses animais foram caçados em fazendas particulares.

Com base nas estatísticas fornecidas ao Ministério da Namíbia em meados de maio, esses números são comparativamente inferiores aos dos cinco anos anteriores.

O país experimentou um dos maiores incidentes registrados de caça de rinocerontes em 2015 quando um total de 97 rinocerontes foram mortos por caçadores.

Desde então, o total de rinocerontes caçados ficou em uma média entre 50 e 60 por ano.

Em uma reunião de 45 membros do grupo de especialistas em rinocerontes africanos da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) realizada no início deste ano, a vice-ministra do Meio Ambiente, Bernadette Jagger, atribuiu a redução dos casos de caça aos esforços combinados da Força de Defesa da Namíbia, da polícia, dos proprietários de fazendas privadas e das unidades do Ministério do Meio Ambiente.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA

PUNIÇÃO

MAUS-TRATOS

SEGUNDA CHANCE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>