Nove cavalos morreram em pistas de corrida de Nova York em dez dias


Por Rafaela Damasceno

Nove cavalos morreram recentemente em Nova York, em um período de dez dias, despertando a preocupação de ativistas em defesa dos direitos animais. A corrida de cavalos já vem sendo analisado com mais cuidado desde o início do ano, quando uma série de mortes aconteceu em uma pista da Califórnia.

Uma pista de corrida de cavalos, cheia de espectadores
Foto: The Associated Press

As mortes aconteceram em quatro pistas diferentes, e algumas pessoas afirmaram que isso foi mais um indício de que a prática, considerada esporte, é perigosa.

“As mortes não são incomuns. Isso é algo já ligado ao sistema”, disse o fundador e presidente da Horse Racing Wrongs, Patrick Battuello. A organização sem fins lucrativos busca o fim das corridas de cavalos.

Um total de 50 cavalos, a maioria puro-sangues (aqueles que não tiveram contato com material genético de outras raças), morreram ou foram sacrificados desde janeiro em 11 pistas de corrida de Nova York.

Trinta cavalos morreram nesta primavera em uma pista da Califórnia, o que gerou um debate nacional em relação aos perigos da prática.

Um porta-voz da Comissão de Jogos declarou que a agência analisa as condições de cada morte e vai usar as informações para evitar futuras ocorrências semelhantes.

Um total de 1.357 mortes foram registradas entre 2009 e 2018, uma média de 180 mortes por ano.

Patrick acredita que as mortes recentes na Califórnia abriram os olhos do público e os pedidos para que o esporte seja banido ganhou força. Neste ano, pistas fecharam permanentemente no país e o número de puro-sangues sendo reproduzidos por ano diminuiu, o que demonstra uma indústria em declínio. Ele está planejando protestos em 17 estados para aumentar a visibilidade da causa.

Apesar de reformas acontecerem, tentando diminuir o número de mortes, elas continuam acontecendo – juntamente com os ferimentos. A única forma de realmente manter os cavalos seguros é banir a exploração disfarçada de esporte.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESMATAMENTO

BARBÁRIE

PRESSÃO INTERNACIONAL

INVOLUÇÃO

UNIÃO

PREVENÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>