Após mais de 30 anos, Japão retoma caça comercial de baleias


Masashi Kato/Reuters

Seis meses após anunciar a saída da Comissão Baleeira Internacional (CBI), baleeiros japoneses marcaram a retomada da caça comercial de baleias no país após mais de 30 anos. Nesta segunda (01), duas baleias da espécie minke foram caçadas e mortas com arpões.

Segundo informações do portal El País, o Japão fixou uma cota anual de 227 baleias, sendo 52 animais da espécie minke, 150 de baleias-de-bryde e 25 baleias-comuns. As baleias serão mortas no território japonês com o objetivo exclusivamente comercial.

A prática está sendo fortemente condenada por organizações ambientais e ativistas em defesa dos direitos animais. Líderes mundiais reunidos na cúpula do G20 em Osaka pediram que o Japão se conscientizasse e impedisse o “ataque cruel às baleias”.

Em uma entrevista à agência internacional AFP, uma japonesa que optou por não se identificar condenou a ganância e o egoísmo do Japão. “Acho que o Japão deveria tomar suas decisões levando em conta o resto do mundo, que diz que isso não está certo”, disse.

A caça comercial de baleias no Japão tinha sido interrompida oficialmente desde 1986, quando uma moratória global contra a caça de baleias entrou em vigor, mas os animais nunca estiveram livres de baleeiros japoneses.

Valendo-se de uma brecha da CBI, o Japão continuou caçando animais anualmente supostamente para fins científicos, no entanto, a carne destes animais era comumente encontrada à venda no país.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRIME AMBIENTAL

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>