Cão recebe alta médica após ser castrado com canivete e sem anestesia


Um cachorro que foi castrado com um canivete e sem anestesia, após escapar de casa, recebeu alta médica. Ele estava internado desde o dia 6 de junho, quando foi alvo de maus-tratos. O casal suspeito de maltratar o animal foi multado em R$ 6 mil. O caso aconteceu em Araraquara (SP).

Foto: Arquivo pessoal

Spike, como é chamado o cachorro, está se recuperando do ferimento que sofreu e já está comendo. No entanto, segundo Anderson José Alves, filho da tutora de Spike, o cão está traumatizado. “Ele fica assustado com presença masculina, ele fica tremendo”, disse ao G1.

Devido à agressão que sofreu, o cachorro teve que ser submetido a uma cirurgia de reconstrução da área afetada. “Ficou mais de R$ 1 mil o tratamento”, afirmou Alves. Segundo ele, a conta da clínica veterinária foi paga com a ajuda de doações.

Maus-tratos

A agressão cometida contra Skipe foi denunciada à polícia. Conforme informações do Boletim de Ocorrência, o cão foi castrado sem anestesia na noite de quinta-feira (6), após escapar e ir parar na casa do vizinho. O ato cruel teria sido cometido devido ao cio da cadela tutelada pelo casal que mora na casa ao lado da residência onde vive Spike.

Segundo a denúncia, o casal teria permitido que o cachorro fosse até o fundo da casa e, em seguida, teria o amarrado e retirado seus testículos sem uso de anestésico para dor.

Foto: ACidadeON/Araraquara

Anderson José Alves contou que recebeu uma ligação de sua mãe por meio da qual ela teria informado que a vizinha havia avisado por telefone que o marido dela tinha castrado Spike. Ao chegar na casa da mãe, Alves afirma ter encontrado o cachorro na rua, com um ferimento aberto.

Punição       

O casal, que confessou à polícia ter castrado o cachorro com um canivete, mas negou ter feito o procedimento sem anestesia, foi multado pela Polícia Ambiental em R$ 6 mil.

Os dois alegaram ter feito uso de uma espécie de anestésico para o cachorro dormir e negaram ter amarrado o animal. Segundo eles, ao final da castração, foi passado um remédio no corte para, em seguida, o cachorro ser solto.

Foto: Arquivo pessoal

Pela lei, maltratar animais pode resultar em pena de detenção de três meses a um ano, além de multa. Caso o animal morra, a pena pode ser aumentada de um sexto a um terço.

Um projeto que aumenta a pena para maus-tratos para até quatro anos foi aprovado no Senado em dezembro de 2018. Em caso de morte do animal, a pena pode ser aumentada em até um terço – mais de um ano. O texto está em tramitação na Câmara dos Deputados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. Doe agora.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>