Ursa cega resgatada de fazenda de bile sente o sol pela primeira vez


A luz do sol está finalmente brilhando para Mai, uma ursa da espécie urso-negro-asiático ou urso-da-lua (Ursus thibetanus) cega que só conheceu a escuridão.

Estas cenas edificantes mostram o urso hesitante andando à luz do dia sobre o capim fresco pela primeira vez em anos. Mai perdeu a visão em função do trauma de ter sido mantida prisioneira para que sua glândula biliar fosse extraída para uso em medicamentos orientais.

Apesar de ter sido resgatada de seu pesadelo permanente no ano passado, ela ainda tinha muito medo de sair para o ar fresco no santuário de animais resgatados de condições semelhantes.

Finalmente, tendo desenvolvido a confiança em outros ursos resgatados no santuário de Animals Asia em Tam Dao, Vietnã, Mai foi filmada andando pela grama pela primeira vez desde que ela foi capturada da natureza como um filhote ainda e levada para ser explorada em uma das fazendas de extração de bile do país.

A Animals Asia tem tido um enorme sucesso ajudando os chamados bile bears (urso de bila), resgatando mais de 600 animais dessas fazendas hediondas e dando a eles a chance de andar em santuários protegidos, ao ar livre.

Para Mai, houvia uma hesitação inicial em deixar a segurança de sua toca no santuário até que os sons de seus companheiros ursos também resgatados, brincando a encorajaram a dar o primeiro passo.

Um vídeo divulgado esta semana mostra a ursa saindo de sua toca e andando pelo gramado, ponderando se deveria dar um mergulho em uma piscina ou descansar em um ninho, antes dela lentamente recuar para dentro do conforto de sua toca.

Infelizmente, Mai não pôde ver muito do seu entorno em sua primeira caminhada, mas há esperanças de que a visão que ela perdeu em cativeiro um dia seja restaurada.

Existem planos para que um veterinário especialista em oftalmologista venha examiná-la em breve.

No entanto, foi a audição afiada de Mai que permitiu que ela captasse os sons de seus companheiros de resgate, os ursos Newtie e Mekong, brincando juntos e se divertindo que finalmente a encorajou a dar um passo adiante.

Sarah van Herpt, gerente da Animals Asia Bear, explicou: “Nas últimas semanas, Mai tem se mostrado cada vez mais confiante.

“Ela ainda só saia para pegar a comida no concreto do lado de fora da toca, alcançando a grama apenas para puxar comida de volta até sua toca.

“Mas agora que ela deu os primeiros passos cheia de coragem, temos certeza de que sua confiança continuará crescendo”.

“Ela tem muito o que esperar e espero que Mekong e Newtie possam convencê-la de que há muita diversão na grama para esses três amigos.”

Para os ursos “cultivados” (criados em cativeiro apenas para este fim específico), a extração de bílis significa suportar o sofrimento intolerável, com os animais sendo continuamente furados e recebendo cateteres nos organismos destinados a drenar suas vesículas biliares, o que expõe ao risco de uma série de problemas de saúde, desde cegueira até artrite e câncer.

A Animals Asia foi fundada por Jill Robinson OBE e combate a indústria de bile de urso há mais de 20 anos, tendo resgatado mais de 600 ursos de todo o Extremo Oriente.

Em 2017, o governo vietnamita assinou um acordo, que é um marco na história do país, em parceria com a Animals Asia para fechar todas as fazendas de bílis de ursos e enviar todos os ursos cativos para os santuários até 2022.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRATAMENTO MÉDICO

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>