Jovens fazem nova manifestação global pelo clima nesta sexta-feira


Jovens de todo o mundo se uniram novamente para realizar mais uma manifestação global pelo clima. O primeiro ato foi realizado há dois meses e o segundo foi marcado para esta sexta-feira (24).

Os atos começaram devido à iniciativa de Greta Thunberg, uma sueca de 16 anos, descendente de Svante Arrhenius, Prêmio Nobel de química em 1903 e um dos pais da ciência das mudanças climáticas. Greta passou a faltar à escola nas sexta-feiras para realizar o Fridays For Future (Sexta-feiras para o futuro, em tradução livre). A garota passava horas sozinha em frente ao Parlamento sueco reivindicando aos políticos fontes de energia renovável e ações de combate ao aquecimento global. As informações são do Blog da Redação.

Manifestações pelo clima ganham o mundo (Foto: Reuters / F. Bensch)

“Nossa biosfera está sendo sacrificada para que os ricos, em países como o meu, possam viver no luxo. É o sofrimento da maioria que paga pelo luxo de poucos”, disse Greta em dezembro de 2018, na COP24 da Polônia. “Vocês nos ignoraram no passado e nos ignorarão de novo. Não estamos mais no tempo das desculpas, não temos mais tempo. Viemos aqui para lhes dizer que, gostem ou não, a mudança está chegando. O poder real pertence ao povo”, completou.

Cerca de 125 países de todos os continentes se comprometeram a realizar manifestações nesta sexta-feira. Suécia, Canadá, Estados unidos, oito países da América Latina, inclusive o Brasil, Índia, Afeganistão e Ubequistão, Alemanha, rança, China, Austrália e Nova Zelândia integram a ação global. Até a quinta-feira (23), havia sido confirmadas 2.265 greves estudantis, duas delas na Antártida.

No Brasil, segundo o mapa do site oficial do movimento Fridays For Future, há atos marcados em Brasília, Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Rio de Janeiro, Belo Horizonte (MG), Aracaju (SE), Recife (PE), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Feira de Santana e Petrolina (BA), Bacabal (MA), Araguatins (GO), Joinville (SC) Ribeirão Preto (SP) e outras cidades do interior e do litoral do estado de São Paulo, como Sumaré, Sorocaba, Bragança Paulista, Praia Grande e Peruíbe.

Greta Thunberg segura seu cartaz de ‘greve escolar climática’ em frente ao parlamento sueco (Foto: Reuters)

Na manifestação realizada em 15 de março, 1,6 milhões de manifestantes participaram em 123 países. A expectativa para esta sexta-feira (24) é de que os protetores superem os anteriores.

“As gerações adultas prometeram deter a crise climática, mas não fazem a lição de casa, ano após ano. Nossa geração já não aguenta mais! Vamos faltar à escola e fazer ações pelo clima para obrigar os adultos a parar de queimar combustíveis fósseis e queimar o planeta que é nossa casa!”, afirmam os jovens.

“Estamos nos levantando para que a indústria de combustíveis fósseis interrompa todos os projetos de extração de carvão, petróleo e gás e construa fontes de energia limpa para todos”, dizem os adolescentes, que chamam pessoas sensíveis à causa a apoiar o movimento e fazer parte das manifestações.

Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), em 2030 o aquecimento global será irreversível, a não ser que medidas urgentes sejam tomadas.

“Ativismo funciona. Então aja”, disse Greta, na última semana, pelo Twitter.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

POLÍTICA PÚBLICA

RECOMEÇO

BANALIZAÇÃO

CAZAQUISTÃO

DESMATAMENTO

BARBÁRIE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>