Leão desnutrido agoniza por anos em zoo de Bangladesh


Por Bruna Araújo

Divulgação | Telegra PH

A história do leão Juboraj, morto aos 18 anos no Zoológico e Jardim Botânico de Comilla, em Bangladesh, infelizmente, não difere das milhares de histórias contadas pela ANDA nos últimos 10 anos. Privado de seu habitat e aprisionado em uma jaula para entreter os visitantes, o leão externou em seu físico todo o horror do cativeiro de animais selvagens explorados pela ganância humana.

As fotos de Juboraj inerte e definhando em um recinto mal conservado viralizaram em todo o mundo e expuseram a condições degradantes dos animais que vivem no local. A administração do zoo tentou abafar a repercussão negativa afirmando que o animal estava sob tratamento veterinário especializado, mas indagações continuaram a ser feitas e, talvez pelo seu frágil estado de saúde, ou para calar os questionamento, Juboraj foi sacrificado em 2017.

Divulgação | Telegra PH

Quando foi condenado à morte, o leão estava visivelmente desnutrido e com seus ossos bem delineados sob a pele frágil e maltratada. O zoo afirma que a condição de Juboraj estava intrinsecamente ligada a sua idade avançada, pois leões da natureza vivem cerca de 14 anos. Na época, uma petição endereçada ao presidente do país, Abdul Hamid, foi criada e alcançou cerca de 56 mil assinaturas.

ONGs internacionais e a imprensa pressionaram por respostas sobre como Juboraj ficou completamente debilitado sem receber nenhum cuidado do zoo, mas a morte do animal sepultou as indagações. Atualmente o Zoológico e Jardim Botânico de Comilla aprisiona outros animais e é considerado um importante ponto turístico da cidade.

Divulgação | Telegra PH

A morte de Juboraj foi tratada como um inconveniente temporário na história do país e infelizmente não foi o suficiente para incitar a conscientização do país sobre a tortura, morte e maus-tratos a que são submetidos animais trancafiados em zoológicos. O rugido de Juboraj foi silenciado, mas sua perda dói no coração de pessoas e ativistas em todo mundo. Descanse em paz Juboraj.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

JAPÃO

PRESERVAÇÃO

DESESPERO

CONSOLO

CALIFÓRNIA

ANGÚSTIA

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>