Denúncia de descaso da polícia no resgate de cachorro-do-mato é apurada


Após a empresária Ana Maria Immer tornar público o caso do cachorro-do-mato resgatado por ela, depois de um pedido de socorro à Polícia Militar Ambiental ter sido negado, o órgão abriu uma investigação para apurar a conduta tomada em relação ao caso. O animal foi atropelado no domingo (19), no distrito de Sousas, em Campinas (SP).

Foto: Reprodução / EPTV

Ana Maria passava pelo local com o marido e, com a ajuda de mais duas pessoas, colocou o animal ferido em um carro e o levou até a Associação Mata Ciliar. Ela conta que, antes, entrou em contato com a fundação responsável pela Mata Santa Genebra, que a orientou a pedir auxílio para a PM Ambiental. O órgão, no entanto, não prestou socorro ao cachorro-do-mato.

Ana disse que a polícia foi omissa e disse que era pra ela “deixar o animal lá [na via] ou levar o animal para a minha casa […]”. As informações são do G1.

O comandante do Pelotão Ambiental de Campinas, Matheus Zanchetta, disse que o caso será investigado em um prazo de dez dias. Ele disse que, apesar do resgate ser feito pela corporação, é necessário acionar o órgão responsável pela rodovia para a contenção do trânsito no local e também para evitar o contato com animais silvestres.

O resgate

Ana Maria e o marido transportaram o animal, que foi colocado dentro de uma caixa de papelão, até a Associação Mata Ciliar, 40 minutos distante do local do atropelamento.

Foto: Reprodução / EPTV

A coordenadora da ONG, no entanto, faz um alerta. “Ninguém é apto para socorrer um animal silvestre. Pode ser que aquele animal estivesse doente e veio a ser atropelado posteriormente […] É claro que órgãos públicos são competentes, o que acontece muito em fim de semana principalmente é que um empurra para o outro”, disse Cristina Harumi Adania.

Levado dentro do porta-malas de um veículo, o cachorro-do-mato chegou à entidade e recebeu atendimento. Ele foi diagnosticado com ferimentos internos graves e a sobrevivência dele é incerta.

“Bastante preocupante”, falou a veterinária da Associação Mata Ciliar Ana Beatriz de Oliveira Gomes.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA

PUNIÇÃO

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>