Ursa parda é resgatada de cativeiro após passar a vida toda atrás das grades


Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

A pequena Coco e seu irmão Luca, junto com a mãe Dasha, a partir de agora vão morar em um local secreto nas montanhas do Cáucaso – graças a união e aos pedidos de pessoas que juntaram suas vozes em prol desses animais

A mãe ursa parda abraça sua filha pela primeira vez na natureza depois de ser salva de uma vida atrás das grades.

Dasha esteve aprisionada por toda a sua vida, 10 anos, como enfeite e atração turística para restaurantes perto de Yerevan, na Armênia.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Ela era alimentada com restos das refeições dos clientes e seus filhotes provavelmente teriam sofrido o mesmo destino.

Mas Dasha foi resgatada pela International Animal Rescue (IAR) em novembro de 2017, ajudada por doações de internautas e usuários das redes sociais, junto com seu companheiro, o urso pardo, Misha.

Tragicamente, o urso do sexo masculino morreu logo depois. Foi só depois que a ONG sediada em Sussex a libertou da pequena e estéril jaula, que a equipe percebeu que ela estava grávida. Alguns meses depois Dasha deu à luz.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Desde então, a bebê de 14 meses e a mãe estiveram até agora em um ambiente (recinto de adaptação à vida na natureza) especial com mínimo contato humano, um passo crucial para sobreviver por conta própria nas colinas escarpadas.

Dasha e os filhotes serão monitorados por guardas florestais e um rastreador via satélite.

Na Armênia, os ursos pardos são freqüentemente enjaulados em condições terríveis como atração em restaurantes e shopping centers.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Mas agora IAR ganhou o apoio da Fundação Armênia para a Preservação da Vida Selvagem e Ativos Culturais e vai trabalhar com seus funcionários numa ação conjunta que visa liberar até 80 ursos.

Resgate de ursos na Armênia

Todos os anos, os ursos selvagens são capturados ou presos ilegalmente por caçadores na Armênia. Uma vez capturados, muitos deles acabam em jaulas pequenas e estéreis em restaurantes e outros locais públicos explorados como entretenimento e atração turística.

Alguns são mantidos em depósitos de ônibus, outros são escondidos da vista das autoridades em adegas escuras. Muitos desses ursos são prejudicados mental e fisicamente pelo tédio e pela frustração de sua existência miserável atrás das grades.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Surpreendentemente, em alguns restaurantes em áreas rurais na Armênia, a carne de urso está disponível até para aqueles que “sabem” como solicitá-la.

Os ursos da Armênia são ursos-pardos sírios (Ursus arctos syriacus), uma das menores subespécies do urso-pardo. Eles são encontrados nas áreas montanhosas do país onde se alimentam de frutos, bagas e insetos nos prados e florestas e hibernam em cavernas e cavidades de árvores. Suas prisões estéreis estão muito longe do que representa seu lar natural na floresta.

Muitos ursos estão sendo mantidos em cativeiros em condições insalubres em toda a Armênia, inclusive na capital Yerevan. Alguns foram encarcerados por anos em gaiolas apertadas com quase nenhum alimento ou água. Seu ambiente não atende a nenhuma de suas necessidades psicológicas ou físicas. Eles têm muito pouco espaço para se movimentar, recebem alimentos inadequados e insuficientes e nenhum enriquecimento ambiental para distraí-los e entretê-los.

Os ursos foram privados de sua dignidade e liberdade. Eles são forçadamente privados de tudo o que precisam para viver como a natureza pretendia.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CATIVO EM ZOO

CRIME AMBIENTAL

RESPONSABILIZAÇÃO

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

ESCRAVIDÃO

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>