Ativistas veganos libertam cerca de nove mil faisões de fazenda de criação


A Frente de Libertação dos Animais (ALF, na sigla em inglês) assumiu o crédito pela ação realizada na fazenda britânica, semana passada, afirmando que é parte do seu objetivo “desmantelar as fazendas da indústria de tiro uma por uma, passo a passo”. A última ação segue dois ataques noturnos no mês passado em Cornwall e Wiltshire (Reino Unido).

Estima-se que 35 milhões de aves exploradas para caça no Reino Unido são criadas em fazendas-fábricas em condições que a organização de bem-estar animal, League Against Cruel Sports, diz serem cruéis e desumanas, em gaiolas superlotadas, privadas de sua liberdade e com o único objetivo de serem comercializadas, situação similar a que são submetidos os frangos criados em larga escala.

Mas essas aves não são protegidas por leis, elas são criadas e reproduzidas exclusivamente para esportes predatórios, denúncias dizem que “muitos desses pássaros são feridos e deixados sofrendo até a morte”.

Até o fim

Falando sobre a ação nas mídias sociais, um porta-voz da ALF disse: “Um caminho aberto foi feito para que os pássaros se dirigissem direto para a floresta, passando longe da estrada. Grãos foram colocados para atraí-los nessa direção.

“Examinamos as 45 gaiolas para faisões e depois retiramos a portinhola de cada uma dessas instalações, transferimos os faisões para o corredor e depois para fora do celeireiro e finalmente para fora da fazenda, direto para uma área arborizada. Cada gaiola continha cerca de 200 aves, num total em torno de 9.000.

“Os atiradores fazem os pedidos de aves às fazendas de caça com bastante antecedência todos os anos, antes do início da temporada. Com as fazendas de caça sendo atacadas em todo o país, muitas lojas de venda de faisões podem sair do mercado este ano. Continuaremos desmantelando a fazenda por fazenda, faisão por faisão, até o final”.

Vandalismo irracional

O ataque foi rotulado de “vandalismo infrarracional e sem sentido” pelo grupo pró-esportes sangrentos, The Countryside Alliance, cujo chefe executivo Tim Bonner disse ao The Times: “Este último ataque é completamente inaceitável. Ao liberar pássaros sem fazer com que eles se adaptem antes, as aves morrerão como resultado desses atos irrefletidos e ignorantes”.

“As empresas rurais e os fazendeiros de subsistência têm desafios suficientes para enfrentar sem ter que lidar com a intimidação e possíveis ataques de extremistas. Os criadores de caça não devem ter que viver com medo, por isso aconselhamos os agricultores a aumentar sua segurança”.

“Esses ataques devem ser investigados e os perpetradores levados à justiça. Isso não passa de vandalismo e crueldade irracionais, vestidos como uma declaração política”.

Lições severas

Pensamentos e opiniões como essa, emitidas irresponsavelmente por humanos que vêem os animais como seres inferiores e produtos que podem ser dispostos quando e da forma como a sociedade bem entender, é que levaram o planeta ao atual estado de devastação e ameaça de existência em que ele atualmente se encontra.

Faisões são vidas preciosas, companheiros de planeta e não alvos móveis para que atiradores psicopatas possam saciar sua sede de morte e sadismo inatos.

Infelizmente somente a privação dos recursos naturais poderá ensinar a humanidade as lições que ela tanto precisa aprender.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

TRATAMENTO

PROTEÇÃO ANIMAL

CRUELDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>