Associação de Veterinários Americanos lança seu primeiro guia de diretrizes para despovoamento de animais


Foto: Stewart McLean
Foto: Stewart McLean

A American Medical Veterinary Association (AVMA, na sigla em inglês) publicou suas primeiras “Diretrizes para o despovoamento de animais” para ajudar os veterinários a apoiar o bem-estar animal em situações em que a difícil decisão de despovoar foi tomada.

De acordo com o anúncio, essas novas diretrizes da AVMA são uma ferramenta importante para ajudar os veterinários a tomar decisões humanas nas situações mais difíceis.

Como as emergências podem acontecer em qualquer lugar e a qualquer momento, a AVMA afirmou que esta é uma orientação vital para os veterinários em todos os campos da prática – da medicina de abrigo à agricultura, práticas que envolvem animais de companhia, zoológicos, saúde pública e vida selvagem.

“Tirar as vidas dos animais humanamente é uma das tarefas mais difíceis, mas necessárias, para os veterinários realizarem”, disse o Dr. Steven Leary, presidente do Painel de Despovoamento da AVMA. “Em tempos de crise ou grandes catástrofes, o despovoamento dos animais afetados pode, às vezes, ser a ação mais ética e compassiva a ser feita”.

As diretrizes de despovoamento representam a última parte da orientação dividida em três partes da AVMA chamada “Humane Endings” (Finais Humanos, tradução livre). Os outros são as “Diretrizes da AVMA para a Eutanásia dos Animais” e as “Diretrizes da AVMA para o Abate Humano de Animais”.

O despovoamento equilibra a necessidade de responder rapidamente e evitar mais devastação com o método de morte mais humano possível em resposta a circunstâncias urgentes, como um desastre natural, um surto de doença perigosa ou um incidente terrorista, explicou a AVMA.

AVMA disse que as experiências passadas mostraram que não fazer absolutamente nada pode resultar em um sofrimento maior aos animais e pôr em perigo os tratadores de animais e as equipes de resgate; portanto, o despovoamento às vezes pode ser a resposta mais humana e compassiva a uma catástrofe.

As novas diretrizes da AVMA visam garantir que seja dada intensa atenção ao bem-estar animal, dentro das restrições de uma emergência, disse o anúncio do lançamento.

Para garantir o melhor bem-estar possível aos animais durante as crises, as diretrizes apoiam o planejamento antecipado de possíveis situações de emergência, o que é essencial para proteger o bem-estar animal e garantir o menor sofrimento possível aos animais, disse a AVMA.

As diretrizes de despovoamento são o resultado do trabalho de mais de 70 voluntários, incluindo especialistas multidisciplinares e experientes em medicina veterinária, ética animal e ciência animal. Eles refletem a preocupação da AVMA com o tratamento ético dos animais em todas as fases da vida e em todas as situações.

O Painel AVMA de Despovoamento, que liderou o desenvolvimento das diretrizes, foi financiado por meio de um acordo de cooperação com o Departamento de Agricultura dos EUA.

A AVMA, fundada em 1863, é uma das maiores e mais antigas organizações médicas veterinárias do mundo, com mais de 93 mil membros veterinários em todo o mundo envolvidos em uma ampla variedade de atividades profissionais e dedicados à arte e à ciência da medicina veterinária.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA

PUNIÇÃO

MAUS-TRATOS

SEGUNDA CHANCE

CENSURA

DESPERTAR

PROTEÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>