Veterinários favoráveis à agropecuária se recusam a atender animais de santuário


Foto: One Green Planet/Reprodução
Foto: One Green Planet/Reprodução

Santuários acolhem e cuidam de animais resgatados de fazendas de criação, e situações de sofrimento, normalmente esses animais chegam traumatizados e abusados e a equipe do santuário tem como objetivo e trabalha incansavelmente para isso: prover-lhes uma vida melhor que a que tinham.

Naturalmente, eles não podem fazer isso sozinhos. Esses locais precisam de doações para funcionar, voluntários e o mais importante, precisam de atendimento veterinário para garantir a saúde e o bem-estar dos animais sob seus cuidados.

Os animais salvos de situações de crueldade podem já trazer problemas de saúde em função de suas vida anteriores ou, como é normal, podem desenvolver alguma doença e necessitar de tratamento.

Infelizmente, segundo informações do One Green Planet, dois veterinários em Minnesota (EUA) não se importam com a vida dos animais resgatados que vivem em santuários.

Os veterinários que trabalham na Clínica Lester Prairie se recusaram a prestar socorro ao santuário Spring Farm quando Pete, um bezerro, escorregou no gelo e se machucou.

A diretora do Spring Farm Sanctuary, Robin Johnson, sempre os chamou para atendimentos veterinários. Eles são os profissionais mais próximos, a clinica fica apenas 38 minutos do santuário, mas o veterinário que costumava atender os animais do Spring Farm não quer mais trabalhar lá.

Johnson estava preocupada com Pete, compreensivelmente, porque seu irmão, Scruffy havia morrido em decorrência de uma queda no ano anterior. Mas quando ela contatou os veterinários, ouviu: “Nós não saímos para emergências, vocês estão muito longe. E nós também não estamos realmente de acordo com os anúncios que ficam expostos aí. Então não somos mais os veterinários de vocês”.

Os anúncios a que os veterinários se referem são os cartazes do Spring Farm Sanctuary que revelam fatos sobre a agropecuária e a indústria de de criação de animais. São pôsteres educativos informando às pessoas sobre os horrores e sofrimentos que os animais são submetidos pela indústria alimentícia, como a separação dos bezerros de suas mães no mesmo dia em que nascem.

Outra clínica veterinária, a Buffalo Equine, também recusou-se a ajudar, mas não disse o motivo. Em Minnesota, a lei permite que os veterinários escolham quem tratar, mas como diz Johnson, eles fizeram um juramento de “usar seu conhecimento e habilidades científicas para a prevenção e alívio do sofrimento dos animais”.

Não ter um veterinário disponível para atendimentos de emergência coloca o santuário em perigo. Pete ficou bem graças a ajuda dos voluntários que colocaram almofadas para ajudá-lo e deixá-lo confortável, mas a diretora do santuário teme pelos outros animais, caso precisem de assistência médica, caso algum acidente aconteça ou em caso de emergências.

Se os profissionais veterinários se importam com vida dos animais, eles precisam fornecer atendimento médico aos animais que vivem em santuários independente de discordar ou não, que haja responsabilidade humana pelo sofrimento na agropecuária animal.

Muitos dos animais que vivem em santuários foram resgatados de sofrimentos atrozes nesses ambientes cruéis; é triste que eles ainda tenham que sofrer as consequências da mesma indústria que explorou e abusou deles ou de suas famílias, mesmo já não estando mais dentro de seus limites.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AMOR CANINO

FAKE NEWS

GANÂNCIA

SEQUESTRO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>