CARNAVAL

Saiba os cuidados necessários para deixar o seu animal ‘cair na folia’

Conforto do animal deve ser prioridade; uso de tintas deve ter indicação veterinária e animais de pelo curto e/ou claro devem passar protetor solar; confira todas as dicas.

Tutores devem ter cuidados ao escolher a fantasia — Foto: Itajany Costa/Arquivo Pessoal
Tutores devem ter cuidados ao escolher a fantasia — Foto: Itajany Costa/Arquivo Pessoal

“E aí, fiquei legal de coroa?”, pergunta a legenda da foto da cadelinha Phoebe. De roupinha de princesa e tiara, a beagle de um ano e meio se exibe nas redes sociais e conquista os corações dos seguidores. A tutora Itajany Costa conta que a foto foi produzida para participar de um concurso de carnaval do qual Phoebe foi a vencedora.

“Essa foi a primeira vez que ela usou fantasia. Normalmente ela já tem o costume de usar bandana e laços. Mas não foi muito diferente das outras vezes. É assim: se eu colocar os acessórios e ela ficar em casa, vai ficar incomodada e tentar tirar. Mas se eu visto as peças nela e em seguida vamos passear, ela se distrai e nem lembra da roupinha. Desse jeito que consigo tirar fotos boas dela, sempre nos passeios”, conta a tutora.

Itajany revela ainda que tomou alguns cuidados na escolha da fantasia. Além de optar por peças adequadas ao tamanho da cadelinha, observou aquela que o elástico parecia menos apertado e também que não atrapalhava o movimento natural do animal. Mais que a beleza, o principal critério foi o conforto para Phoebe.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Embora a beagle tenha sido fantasiada apenas para um concurso fotográfico, alguns animais também vão a blocos de carnaval vestidos a caráter. Além dos cuidados para evitar que as roupas incomodem os animais, a veterinária Bruna Jardim Magalhães destaca outras questões que devem ser observadas.

“O ideal é que o cão vá a blocos de animais, onde o som estará mais baixo e terá menos aglomeração. Muito barulho e muita gente pode deixar o cão estressado, ele pode até passar mal. Se for um animal mais tímido, assustado, talvez seja melhor não levar, ou se preparar para ficar com ele no colo. Em caso de animais de grande porte, a fucinheira pode ser importante para evitar acidentes”, explica Bruna.

A veterinária lembra que alguns tutores podem querer pintar o pelo do animal e alerta para o uso de tintas apropriadas para animais. “Tintas normais podem ser tóxicas e causar alergias e outros problemas, por isso só deve se usar coloração de indicação veterinária. E os animais com pelo muito curto e/ou muito claro devem passar protetor solar específico para cães para evitar câncer de pele”, complementa.

Cuidados no bloquinho

Decidiu curtir o bloquinho com o animalzinho? A veterinária dá dicas extras para que todos possam aproveitar sem problemas, confira:

Atenção aos horários: priorize os blocos do início da manhã e fim de tarde, para evitar que o calor prejudique os animais. Observe ainda se o chão não está quente, já que pode ferir a pata do animal;

Fuja do som alto: a audição dos cães é muito sensível. Não fique próximo a caixas e carros de som;

Hidratação em dia: leve garrafinha de água para o animal se hidratar. De preferência, leve uma garrafinha congelada ou em bolsa térmica para que a temperatura da água fique agradável por mais tempo;

Observe o animal: se ele demonstrar cansaço ou irritação é hora de ir embora. Leve-o para um local sossegado para que se acalme. Petiscos e muito carinho podem ajudar a deixar o cãozinho tranquilo.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui