PETA denuncia corrida de trenó com cães na neve


Michael Dinneen/AP/REX/Shutterstock
Foto: Michael Dinneen/AP/REX/Shutterstock

A PETA tomou a decisão de denunciar a Iditarod, corrida anual de trenós com cães na neve, que ocorre no Alasca, após a morte de um cão que participou da competição.

Tracy Reiman diz que a corrida foi responsável pela morte de Oshi, uma cadela de 5 anos que participava como membro da equipe de Richie Beattie.

“Oshi era como o cachorro comum que fizesse de qualquer família, mas a Iditarod forçou-a a correr até que ela morresse sufocada em seu próprio vômito, assim como muitos cães antes dela”, diz Reiman em um comunicado. “Dos que sobrevivem, 81% ficam com danos nos pulmões e 61% com úlceras gástricas.

“A PETA está exigindo uma avaliação veterinária completa de cada cão que foi usado na edição da corrida de 2019, incluindo os 232 que foram retirados da corrida, para que o público possa ver “de que forma” os competidores perseguem o prêmio, sob o pretexto de amar estes cães, mostram uma completa falta de preocupação com eles, ao pressioná-los acima de seus limites. Se isso tivesse acontecido com atletas humanos, os responsáveis estariam na cadeia”.

Oficiais da corrida de Iditarod dizem que outro cão na equipe de um dos pilotos morreu de pneumonia, e o competidor (motorista do trenó) foi retirado do evento.

Em um comunicado, a organização Iditarod anunciou que Oshi morreu na noite de sábado em um hospital veterinário em Anchorage, vítima de pneumonia por aspiração de neve.

Beattie e sua equipe terminaram a corrida na quinta-feira. A organização diz que, enquanto realizavam exames pós-corrida, os veterinários do Comitê da Trilha de Iditarod, ao examinar Oshi, notaram sinais de pneumonia, conforme informações da Associated Press.

O cão foi transportado em um voo fretado de emergência para Anchorage na sexta-feira. Oshi morreu no dia seguinte.

O Idiatord afirma que uma necropsia será conduzida por um patologista veterinário certificado para determinar a causa oficial da morte.

A corrida de 2019 aconteceu durante um período polêmico que já dura dois anos para o Iditarod, incluindo um escândalo de doping com cães e a perda de patrocinadores nacionais em meio a protestos de ativistas pelos direitos animais.

O evento infeliz e marcado por mortes acontece desde 1973 e o percurso percorrido pelos cães é de mais de mil milhas (mais de 1.600 km) entre as cidades de Anchorage e Nome.

A PETA é o maior crítico dessas corridas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESMATAMENTO

BARBÁRIE

PRESSÃO INTERNACIONAL

INVOLUÇÃO

UNIÃO

PREVENÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>