Capital da Turquia se rende ao veganismo


Foto: Pixabay

A ligação de Istambul com a carne é muito forte e ela está presente em quase todos os pratos típicos da cultura turca. No entanto, o veganismo está ganhando mais espaço a cada dia com um número crescente de pessoas que optam por uma alimentação livre de produtos animais e de estabelecimentos que oferecem essas alternativas.

O boêmio bairrode Kadikoy, no lado da Anatólia ou a área histórica de Taksim concentram a maior partes dessas lojas, mas produtos veganos também são vendidos em supermercados mais sofisticados.

“Houve uma campanha incrível em Istambul, especialmente nos últimos seis meses”, disse Kevser Baskara, nutricionista vegana.

“Acredito que seja devido à exposição de estudos científicos que mostram os benefícios do veganismo voltados para a saúde e para o meio ambiente, e talvez o perigo de antraz que enfrentamos recentemente”, disse ela, referindo-se à crise da carne vermelha antes de Eid al-Adha.

“Claro, documentários como ‘Earthling’ e ‘What The Health’ e mídias sociais também deram um empurrão, mostrando honestamente a crueldade das indústrias de carne e laticínios para o consumidor tradicional”, disse Baskara.

Para os turcos, deixar de lado a variedade de queijos, pratos de peixe, iogurte e ovos da dieta e trocá-los por opções veganas é bastante incomum.

“Quando uma refeição inclui produtos estrangeiros, como abacates ou quinoa, as pessoas pensam automaticamente que é de alguma forma vegana, embora a refeição em si possa incluir queijo ou mesmo carne. A Turquia ainda está longe do conceito de uma dieta baseada em vegetais”, disse Baskara, acrescentando que o veganismo muitas vezes parece radical e elitista para o consumidor tradicional.

Sobre seus paciente que optam pela transição ela conta: “Eu vejo suas melhoras e vejo-os perder peso. Na verdade, muitos deles inicialmente me procuram para perder peso antes de experimentar mais benefícios surpreendentes da vida vegana ”, disse Baskara.

O turco Nevsin Mengu, um âncora de notícias e concorrente determinado do Ironman , apoiou essa perspectiva com absoluta certeza. “Eu gostaria de ter sido criado como vegano”, disse ele, que se tornou vegetariano no ensino médio.

De acordo com Mengu, o veganismo traz alternativas ecológicas, livres de crueldade para hábitos enraizados na cultura tradicional da Turquia que estão destinados a mudanças graduais. Ela chamou isso de “a evolução da consciência ” em sua palestra no TED de 2018, cujo objetivo era ajudar a quebrar os preconceitos generalizados contra o veganismo. As informações são do Al-Monitor.

“Comer como um vegano não é caro”, disse Mengu, embora alguns vegetais custem tanto quanto carne após os recentes aumentos de preço, alternativas baratas podem ser encontradas no mercado”.
“Você pode encontrar óleo de coco que é mais barato do que a manteiga comum”, acrescentou Mengu. A manteiga é considerada essencial para muitos pratos tradicionais.

Itir Irem Yildirim, uma ativista vegana de 27 disse: “Mudar para o veganismo é simplesmente escolher produtos veganos acima dos regulares e nada mais”.
Yildirim faz parte de uma iniciativa que monta estandes veganos por toda a cidade, pronta para fornecer respostas para os não-veganos curiosos.

“Eles vêm com curiosidade. A maioria das pessoas de 25 a 30 anos vem nos fazer perguntas, mas também já falei com pessoas de 60 e 70 anos”, disse ela.

“Eu saio e faço isso porque queria que alguém tivesse me dito antes.”

O comércio vegano

A proprietária da Vegan Bakkal, Yildiz Seker Altas, que é da província de Kahramanmaras, no sul, disse que sua mãe estava preocupada em ouvir que sua filha de 30 anos estava se tornando vegana. “Mas eu estava preparada para essa conversa e levei o queijo vegano de amêndoa que eu fiz”, disse Seker.

A pequena loja de Seker está ocupada durante todo o dia, vendendo opções veganas no site e online. Ela está presente não apenas para vender produtos, mas também para explicar e discutir questões relacionadas ao veganismo.

De almôndegas de ervilha a manti vegan (ravióli turco), variedades de queijo, suplementos como spirulina eo antioxidante camu camu, comida vegetariana para gatos e produtos sanitários, é um centro para introduzir o veganismo ao povo de Istambul e oferecer alternativas.

“Algumas pessoas veem a placa, entram e fazem perguntas e decidem experimentar o veganismo”, disse Seker.

“Temos clientes mais jovens que vêm fazer compras com os pais e vimos os pais deles se tornarem veganos também. Há um forte preconceito contra o veganismo, mas está realmente enraizado na falta de conhecimento e familiaridade, e é aí que entramos”, acrescentou.

Mesmo que ainda muito distante Istambul está caminhando para ser uma grande potência do veganismo como o Reino Unido e a Alemanha.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

EDUCAÇÃO

BENEFÍCIOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>