Devido à morte de cadela, Carrefour terá que doar R$ 1 milhão para causa animal


O supermercado Carrefour assinou um Termo de Compromisso, segundo o Ministério Público de São Paulo, no qual assume a obrigação de depositar R$ 1 milhão em um fundo, criado pelo município de Osasco (SP), pela agressão de um segurança que resultou na morte de uma cadela por hemorragia em novembro de 2018.

O valor será destinado à causa animal, sendo R$ 500 mil para castração de cães e gatos, R$ 350 mil para compra de medicamentos para animais do Hospital Municipal Veterinário ou do Canil Municipal e R$ 150 para aquisição e entrega de ração para entidades de proteção animal da cidade de Osasco. As informações são do G1.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Caso o Carrefour descumpra o acordo, será multado em R$ 1 mil por dia de atraso no cumprimento do depósito e o município de Osasco será alvo de investigação por ato de improbidade administrativa se não atender ao termo assinado pelo supermercado. A fiscalização será realizada pela Promotoria de Justiça.

Em nota, o Carrefour confirmou o acordo e disse que “implementa extenso plano de ação em prol da causa animal, estruturado com o apoio de diversas ONGs e entidades, com ações concretas em curso na cidade de Osasco e no país”.

Entenda o caso 

A cadela Manchinha foi agredida por um segurança do Carrefour de Osasco em novembro do ano passado. Imagens de câmeras de segurança e vídeos feitos por testemunhas registraram o crime. O agressor confessou ter batido no animal com uma barra.

Nas imagens, é possível ver o segurança correndo atrás da cadela. Em seguida, ela aparece mancando e sangrando. O momento em que funcionários da prefeitura laçam o animal, que desmaia, também foi registrado em um vídeo. Após ser levada para uma unidade da prefeitura, a cadela morreu.

Dócil, Manchinha estava abandonada no estacionamento do supermercado e recebia carinho e alimento de funcionários e clientes.

O segurança, que não teve a identidade revelada, vai responder em liberdade por maus-tratos a animais. Como o crime é de menor potencial ofensivo, não cabe prisão, nem indiciamento, segundo a Secretaria de Segurança Pública. Caso seja condenado, ele pode receber pena de detenção de três meses a um ano – que costuma ser substituída por penalidade alternativa, como prestação de serviços comunitários – e multa.

Nota do Carrefour

“O Carrefour informa que firmou acordo com o Ministério Público do Estado de São Paulo e Município de Osasco em prol da causa animal, após episódio ocorrido em sua loja de Osasco (SP), no ano passado. A partir do seu compromisso e transparência com toda a sociedade, a empresa irá reverter R$ 1 milhão a fundo ligado à causa que será criado pelo município, sendo R$ 500 mil destinados para a castração de cães e gatos, R$ 350 mil à compra de medicamentos para o Hospital Municipal Veterinário ou canil municipal e R$ 150 mil à compra de ração para associações, ONGs e demais entidades na cidade. O acordo, que será remetido ao Conselho Superior do Ministério Público para homologação, prevê que a Promotoria de Justiça de Osasco será responsável pelo acompanhamento e fiscalização quanto ao cumprimento do acordo. O Carrefour reforça ainda que já implementa extenso plano de ação em prol da causa animal, estruturado com o apoio de diversas ONGs e entidades, com ações concretas em curso na cidade de Osasco e no país. As informações estão disponíveis no canal criado exclusivamente para informar a sociedade sobre essas e outras iniciativas: carrefour.com.br/causa-animal.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

HOLOCAUSTO

INSPIRAÇÃO

CONSCIENTIZAÇÃO

CONSCIENTIZAÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>