Mianmar realiza queima histórica de quase duas mil partes de animais selvagens apreendidas com caçadores


No ano passado, o governo do Mianmar também realizou a queima de partes de animais apreendidas com caçadores (Foto: Reuters/Myo Kyaw Soe)

Na semana passada, o governo de Mianmar, na Ásia, realizou a queima histórica de quase duas mil partes de animais selvagens apreendidas com caçadores.

O ato organizado pelo Ministério de Recursos Naturais e Conservação Ambiental foi uma manifestação contra a caça e o comércio de partes de animais selvagens.

A intenção é ampliar a conscientização sobre o assunto e compartilhar a mensagem de que esse tipo de crime não será mais tolerado no país, segundo a agência de notícias Xinhuanet

Na ocasião, o governo de Mianmar queimou 219 pedaços de marfim, 210 pedaços de tronco de elefante seco, 527 ossos de animais selvagens, 800 chifres, 241 partes diversas de animais e 134,7 quilos de escamas de pangolim.

Basicamente, a maior parte era de animais que atualmente são considerados em risco de extinção ou que estão na iminência de entrar na lista de espécies ameaçadas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

EDUCAÇÃO

BENEFÍCIOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>