Governo Trump pede corte de fundos para proteção ambiental e de espécies ameaçadas


Foto: Pixabay

O orçamento proposto é sem precedentes e prevê o corte de 2 bilhões de dólares (quase 8 bilhões de reais) para o Departamento do Interior e de 2,8 bilhões (cerca de 11 bilhõesde reais) para a Agência de Proteção Ambiental. Em contrapartida, pede a adição de 8,6 bilhões de dólares (aproximadamente 33 bilhões de reais) para a construção do muro na fronteira com o México.

“O orçamento de Trump é uma piada repulsiva e sem coração”, disse Brett Hartl, diretor de assuntos governamentais do Centro para a Diversidade Biológica.

“Essa proposta ambientalmente devastadora mostra que o governo de Trump é composto apenas por interesses especiais, geridos por interesses especiais, em benefício de interesses especiais. Isso permitiria que animais em perigo fossem extintos.”

O financiamento para incluir animais silvestres e plantas à lista de espécies ameaçadas seria reduzido em quase 50% para 11 milhões de dólares (cerca de 42 milhões de reais) por ano por ano, enquanto o Fish and Wildlife Service teria um corte geral de 267 milhões de dólares (cerca de 1 bilhão de reais).

No mês passado, mais de 215 grupos convocou o Congresso a aumentar o orçamento para conservação de espécies ameaçadas de extinção de cerca de 252 milhões de dólares (cerca de 950 milhões de reais) para 486 milhões de dólares (quase 2 bilhões de reais). O aumento garantiria que todas as espécies ameaçadas receberiam um nível básico de financiamento para sua recuperação e englobaria o acúmulo de 500 espécies que ainda precisam analisar se devem ou não ser protegidas pela Lei de Espécies Ameaçadas.

“A Lei de Espécies Ameaçadas de Extinção continua a ser a lei mais eficaz do mundo para acabar com a extinção, mas o orçamento do governo impediria os cientistas de conservação de salvar a vida selvagem à beira do abismo”, disse Hartl.

“O comportamento escandaloso da EPA está ignorando a ameaça do PFAS, e outros produtos químicos tóxicos em nosso ambiente simplesmente farão parte do curso se este orçamento fosse promulgado”, disse Hartl. “Em vez de cortes maciços, devemos aumentar drasticamente o financiamento da EPA para proteger a saúde humana e a vida selvagem de todas as formas de poluição tóxica.” As informações são do World Animal News.

Outras medidas

O governo Trump parece estar decidido em acabar com a vida selvagem do país.

No início deste mês, o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA anunciou os planos para retirar os lobos-cinzentos da Lei de Espécies Ameaçadas.

“Esta proposta repugnante seria uma sentença de morte para os lobos cinzentos em todo o país”, disse Collette Adkins, advogado sênior do Centro de Diversidade Biológica.

O fim da proteção dos lobos-cinzentos na região dos Grandes Lagos já havia sido feita em 2011, o que permitiu a caça de troféus e as temporadas de captura em Minnesota, Wisconsin e Michigan, mas as cortes restauraram as proteções em 2014.

“Os tribunais têm repetidamente criticado o Serviço de Pesca e Vida Selvagem por remover prematuramente as proteções dos lobos, mas a agência agora voltou com seu esquema mais notório”, continuou Adkins.

“A indústria pecuária e os caçadores de troféus querem os lobos mortos, mas vamos garantir que os órgãos federais cumpram sua obrigação de restaurar a população de lobos em todo o país”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

HABITATS DESTRUÍDOS

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA

COMPAIXÃO

DESGOVERNO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>