‘Emoções estão em todos os lados do reino animal’, diz pesquisador


O pesquisador de comportamento animal Frans de Waal defende que as emoções não são exclusividade dos seres humanos. Para isso, ele escreveu um livro, denominado Mama’s Last Hug (Último abraço de Mama, em tradução livre), que estará à venda a partir do dia 19 de março, em inglês.

Foto: Pixabay / Ilustrativa

“Emoções estão em todos os lados no reino animal, do peixe aos pássaros aos insetos, até nos moluscos como o polvo”, diz o pesquisador. As informações são do portal Hypescience.

O livro foi lido pela professora de antropologia e especialista em personalidades de animais da Faculdade de William e Mary, nos EUA, Barbara King, que teve acesso a uma cópia de forma antecipada. O trabalho foi dedicado à chimpanzé Mama, matriarca de uma colônia de chimpanzés do zoológico Burges, na Holanda. O animal exercia grande influência nos outros membros do grupo.

Prestes a morrer, com quase 59 anos, em 2016, Mama recebeu a visita do biólogo Jan van Hooff, que cuidou dela por 40 anos e foi até o zoológico se despedir. Ao se abaixar em direção à chimpanzé, ela colocou a mão na cabeça dele.

“Ela fez um cafuné gentilmente. Seus dedos acariciaram ritmicamente a sua nuca e pescoço”, relata Waal. Uma semana depois, Mama morreu. Ela se tornou o argumento central de Waal no livro dele em defesa de que o ser humano não é o único a ter emoções.

Foto: Reprodução / Hypescience

No livro, o autor cita também o exemplo de um chimpanzé jovem que colocou um rato morto em cima de um familiar que estava dormindo. Ao acordar, o animal reage gritando e se sacudindo para tirar o rato de cima dele. Waal lembrou também que animais de todos os tipos, dos caranguejos aos coiotes, brigam com outros e depois, ao vencer o conflito, celebram. “O orgulho vem de uma longa herança evolutiva”, diz o pesquisador.

As emoções dos animais são diferentes das expressadas por humanos, mas elas não são uma característica exclusiva das pessoas. De acordo com Waal, as emoções são estados mentais e físicos que podem ser detectados por outros, ao contrário dos sentimentos, que são estados internos subjetivos que não podem ser percebidos por outros.  “Qualquer um que diga que sabe o que os animais sentem não tem a ciência para apoiá-lo”, alerta Waal.

O pesquisador discorda de acusações de antropomorfismo – a ideia de que humanos meramente projetam suas emoções em outras espécies. Waal se preocupa com a negação de que humanos têm muitas similares com outros animais e com a forma que isso afeta a forma como as pessoas tratam os animais, especialmente bois, porcos e frangos.

Com o lançamento do livro e as descrições do pesquisador sobre as emoções dos animais, Waal contribui com o tratamento ético dos animais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MÉXICO

CRUELDADE

AMOR

EMPATIA

AMOR

CRUELDADE

CHINA

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>