França proíbe gata de Karl Lagerfeld de herdar fortuna do estilista


Foto: Reprodução / Instagram

Karl Lagerfeld morreu na última terça-feira (19), aos 85 anos, e o destino de sua fortuna está gerando polêmica.

Declaradamente apaixonado por sua gata Choupette, o estilista da Chanel não era casado, nem tinha filhos e sempre falou sobre deixar seu patrimônio para a felina.

O problema é que a legislação da França, onde ele residia, proíbe deixar heranças para não-humanos, embora Paris reconheça os animais como sencientes.

“Não é possível designar um animal como herdeiro. O herdeiro precisa ter capacidade jurídica na França”, explicou a advogada Joanne Glévarec, especialista no Direito das sucessões na França e na Alemanha, em entrevista ao jornal Le Monde.

Foto: Reprodução / Instagram

A Alemanha, onde Lagerfeld nasceu, autoriza essa possibilidade, porém a lei do país de residência é a que deverá ser aplicada.

Choupette já dona de uma fortuna depositada previamente em uma conta bancária, aberta em seu nome.

Alternativas

De acordo com o site RFI, existiriam algumas formas de realizar o desejo de Lagerfeld.

A gata poderia ser a beneficiada direta ou indireta dos bens do tutor se, em vida, ele tivesse assinado um testamento esclarecendo a questão.

Lagerfeld dispunha de três alternativas: especificar que gostaria que a legislação alemã prevalecesse no seu caso; designar uma pessoa de confiança para receber o dinheiro, em troca de cuidados vitalícios ao animal; ou ainda estabelecer uma doação para uma instituição de proteção de animais, para que cuidasse da felina após a sua morte. Uma quarta possibilidade ainda poderia ter sido criar a própria fundação para este fim.

Outra alternativa é a mais comum na França – em 2018, a Sociedade de Proteção dos Animais (SPA) recebeu cerca de 33 milhões de euros (aproximadamente 141 milhões de reais) em doações oriundas de heranças, que equivalem a 70% das receitas da entidade, segundo o Monde. Em quase todos os casos, os falecidos não deixaram filhos, e não por coincidência – o direito francês proíbe uma pessoa de excluir os filhos da herança. Pelo menos uma parte dos bens deve ser repartida entre seus descendentes.

A possibilidade mais concreta é que ele tenha designado um responsável legal por Choupette. Os nomes cogitados pela imprensa francesa são o modelo americano Brad Koenig, amigo do costureiro, e o também modelo Baptiste Giabiconi, “tratado como um pai” pelo estilista e primeiro tutor da gata, de acordo com a revista Oh My Mag.

Animais herdeiros

Michael Jackson, morto em 2009, deixou uma fortuna de dois milhões de dólares e um castelo para o seu chimpanzé Bubbles.

A condessa alemã Carlotta Liebenstein, em 1991, deixou a seu pastor alemão Gunther, cerca de oitenta milhões dólares.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE

MISSÃO

ACADEMIA ESPECISTA

SADISMO

DE OLHO NO PLANETA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>